Carga tributária emperra investimento, diz embaixador britânico

O embaixador da Grã-Bretanha, Roger Bone, disse hoje que o regime tributário brasileiro e a insegurança jurídica dificultam o investimento e o planejamento das empresas no Brasil. "Na hora de tomar uma decisão (sobre investimentos), a cautela ainda é o sentimento dominante", afirmou o embaixador, que está se despedindo do Brasil este mês e fez um balanço de seus cinco anos no País para um grupo de empresários e executivos, na Câmara de Comércio Britânica (Britcham), em São Paulo. "Minhas preocupações nessa área são compartilhadas por meus colegas europeus."Bone reclamou principalmente da falta de regras no campo energético (petróleo e gás). Citou o Rio de Janeiro, onde, de acordo com ele, o governo estaria cobrando ICMS da produção de petróleo e teria decidido eliminar a isenção fiscal sobre a importação de bens de capital. Bone destacou que as empresas britânicas desta área fizeram grandes investimentos e agora esperam garantir o retorno. "Sei que alguns bancos britânicos gostariam de aceitar o desafio de participar das Parcerias Público-Privadas (PPPs), mas é improvável que isso se concretize, a menos que aumente a confiança no marco regulatório", afirmou.O embaixador fez elogios ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pela "energia e confiança para enfrentar a pobreza e a desigualdade", e ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que deixou como legado uma "infra-estrutura institucional" que permitiu um processo de transição democrática "notável".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.