Carioca prefere ver TV a ir à praia

Os cariocas preferem assistir TV do que frequentar a praia, segundo a pesquisa "Retrato Carioca", sobre hábitos de consumo, encomendada pela Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ). Só 4% deles tem como opção preferida de lazer ir a shopping centers. A grande maioria prefere assistir TV (21%), praticar esportes (20%), ir à praia (19%) e caminhar (13%). Outras opções são ler (6%) e ir a bares e restaurantes (5%).Segundo o presidente da Comissão de Varejo da ACRJ, Daniel Plá, o dado é importante porque mostra que o comércio de rua no Rio, ao contrário de outras cidades, tem potencial. De acordo com Plá, o custo de manutenção do lojista no shopping é duas a três vezes maior do que na rua. O empresário vê inclusive uma tendência de retomada do comércio em áreas como Copacabana e Centro.A diretora do Instituto Retrato, responsável pela pesquisa, Maria Tereza Monteiro, observa que esta é uma interpretação do dirigente da ACRJ, mas que a pesquisa não chegou a questionar se o consumidor prefere comprar nos shoppings ou em lojas nas ruas. "O que posso dizer é que o comércio de rua no Rio é diferente de outras cidades onde os shoppings mataram o comércio de rua. Segundo ela, a pesquisa mostrou também que o carioca está saindo menos de casa, como forma de sobrevivência econômica e para fugir à violência, o que favorece o comércio próximo à sua residência. RendaA pesquisa, realizada com 800 entrevistados com idades a partir de 15 anos, 200 pessoas de cada uma de quatro classes sociais, mostrou que a falta de dinheiro leva entre 60% a 40% da população a não consumir bens ou serviços considerados supérfluos. Cerca de 40% dos cariocas não compram CDs, 60% não consomem artigos esportivos, 62% não gastam com fotografias, 58% não compram brinquedos, 48% não freqüentam restaurantes, um pouco menos da metade não compra bijuterias ou jóias e cerca de um quarto da população não compra acessórios como carteiras, bolsas ou cintos."Quando tiver uma melhor distribuição de renda, vamos ter muita gente entrando no mercado consumidor. A exclusão é muito grande e muita gente só compra mesmo comida", disse Daniel Plá. Menos da metade dos entrevistados tem conta bancária e 30% tem cartão de crédito.InternetQuase 20% dos cariocas têm computador em casa, dos quais 80% estão ligados na Internet. A maioria desses, é da classe A e tem entre 20 e 24 anos. O principal motivo para a acessar à Internet, citado por 30% dos que entram na rede, é ver notícias. Em segundo lugar ficou a pesquisa escolar, com 18%. Apenas 2% citaram compras como principal motivador para entrar na rede, sendo que 6% dos que tem acesso à web sentem-se estimulados a fazer compras, principalmente de livros e CDs e pagando por cartão de crédito.Um total de 44% dos pesquisados possuem telefone celular, sendo que 82% estão nos planos pré-pagos. Quase 60% dos pesquisados se preocupam em segurar o automóvel, mas apenas 15% fizeram seguro de vida e só 5% tem planos de previdência privada. A proporção sobe para 30% nos casos de planos ou seguros de saúde. Uma parcela de 29% dos que tem seguro de vida não lembrava o nome da seguradora. O mesmo ocorreu com 24% dos que disseram ter seguro de automóvel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.