Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Carlyle compra a Getty Images por US$ 3,3 bi

Fundo de investimentos assume o controle da distribuidora de fotos, vídeos e produtos multimídia, de olho no crescimento desse mercado

REUTERS,

15 de agosto de 2012 | 22h44

O grupo de investimentos Carlyle acertou a compra da Getty Images, da Hellman & Friedman, por US$ 3,3 bilhões, apostando na crescente demanda por produtos de imagem online.

O Carlyle assumirá uma participação controladora na Getty, uma distribuidora de fotos, vídeos e produtos multimídia, em sociedade com a administração atual da empresa que manterá o resto da propriedade.

Mark Getty, presidente da Getty Images, e a família Getty vão colocar quase toda sua participação na empresa dentro do acordo de compra. O atual presidente executivo, Jonathan Klein, também participará da operação.

A Getty, que mostrou pela primeira vez imagens em 3D em 360 graus durante os Jogos Olímpicos de Londres utilizando câmeras robóticas, está mudando de propriedade num momento em que o setor de mídia mostra uma crescente concorrência.

Fundada em 1995 por Mark Getty e Klein, a Getty teve de se adaptar às mudanças no setor de mídia, pois a demanda por imagens cresce num ambiente onde os preços online são menores que nas publicações impressas.

A venda ocorre mais de quatro anos depois que a Hellman & Friedman comprou uma participação majoritária na Getty Images, num acordo de US$ 2,4 bilhões.

O fundo de investimentos Carlyle Partners V fornecerá financiamento para o negócio. JP Morgan, Barclays, Credit Suisse, Goldman Sachs e RBC Capital Markets se comprometeram a financiar a dívida para a transação. O Goldman e o JP Morgan também assessoraram a Getty Images sobre o acordo.

O negócio enfatiza um forte apetite por compras secundárias - vendas de uma empresa de capital privado a outra -, enquanto o setor desfruta de capital que procura pôr em circulação e o mercado de ofertas públicas iniciais (IPOs) continua agitado.

O Carlyle prevaleceu sobre outros fundos de investimento interessados, que incluíam o CVC Capital Partners Ltd., segundo fontes. O Carlyle investiu US$ 1 bilhão em aquisições no segundo trimestre, mas desde então anunciou acordos - cuja concessão chegaria no fim do ano - que o comprometeriam em pelos menos US$ 1,6 bilhão, segundo disse William Conway, um dos presidentes executivos da empresa, a analistas.

Grande parte da prolífica atividade de acordos do Carlyle nos últimos meses se deve à dinâmica do Carlyle Partners V. O período de investimento do fundo se estende até maio de 2014, afirmou Conway.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.