Carne bovina tem preço recorde no pico da safra

O preço da arroba do boi gordo no campo é o maior dos últimos cinco anos em pleno pico da safra. Depois do pão francês, do arroz e do óleo de soja, a carne bovina começa a despontar como o mais novo vilão da inflação ao consumidor neste mês.Na segunda-feira, a arroba do produto estava cotada no mercado físico do interior paulista em R$ 77,61, com alta de 1,73% no mês, de 10,49% no ano e de 42,82% nos últimos 12 meses, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da USP. A cotação do bezerro, que é o boi antes da engorda para o abate, também está em nível recorde. Subiu quase 25% neste ano e mais de 45% em 12 meses, apontam as cotações do Cepea."No supermercado, todo dia a carne sobe um pouquinho", diz o presidente da Associação Brasileira de Supermercados, Sussumu Honda. Neste mês, a carne bovina já aumentou entre 7% e 10% no varejo, sem queda nos volumes, conta.Esse movimento de alta de preço já começa a aparecer na inflação. No Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe, a carne bovina subiu 1,42% na primeira quadrissemana deste mês, após ter fechado abril com alta de 0,42%. "A aceleração da carne bovina é bem forte na ponta e o produto pesa 2,54% no IPC", diz o coordenador do índice, Márcio Nakane.Sergio De Zen, pesquisador do Cepea, diz que o recorde de preços está ainda para acontecer. A arroba está cotada no mercado futuro da BM&F por R$ 88 para outubro. A elevação de preços é sustentada pela baixa oferta de bois, que é fruto da queda na rentabilidade do setor nos últimos anos, o que provocou corte no plantel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.