AP
AP

bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Carne de baleia começa a encalhar nos portos do Japão

Apesar da pressão internacional, caça às baleias continua, mas japoneses começam a perder o apetite por causa do preço e das campanhas dos ambientalistas

AP,

27 de março de 2014 | 12h51

TÓQUIO - A maior ameaça à indústria baleeira do Japão não são mais os ambientalistas que tentam impedir a pesca alegando risco de extinção das baleias, mas sim a perda de apetite dos japoneses.

A quantidade de carne de baleia estocada por falta de compradores quase dobrou em 10 anos, ao mesmo tempo em que os protestos contra a caça à baleia ajudaram conter o consumo e a quantidade de baleias mortas.

Mais de 2,3 mil baleias minke estão guardadas em freezers enquanto baleeiros ainda pretendem capturar cerca de 1,3 mil este ano.

A baixa demanda aumenta a incerteza que paira sobre o julgamento em um Tribunal Internacional de Justiça esperado para segunda-feira. 

A caça às baleias é liberada no Japão apenas para pesquisa, mas a Austrália argumentou em um processo que é a liberação é apenas um disfarce para a caça comercial.

O objetivo declarado da pesquisa, dos japoneses, desde 1987, é mostrar que a caça comercial é ambientalmente sustentável. 

"A retomada da caça comercial de baleias não é mais uma opção realista", disse Ayako Okubo, pesquisador de ciência marinha da Universidade de Tokai. "O programa é usado para interesses escusos", afirma ele.

O programa de pesquisa começou um ano depois de uma proibição internacional da caça comercial. O Japão é um dos poucos países, ao lado da Noruega e Islândia, que continuam a caçar baleias, apesar da moratória internacional. 

Protestos. Ativistas do grupo Sea Shepherd tentam bloquear os baleeiros arrastando cordas para danos às hélices das embarcações baleeiras, e arremessando bombas de fumaça em direção aos navios, entre outros métodos.

A carne de baleia é vendida em supermercados do Japão, mas acordo com as estatísticas da Agência de Pesca, a quantidade de carne de baleia armazenada nos principais portos japoneses totalizou cerca de 4,6 mil toneladas no final de 2012. Dez anos antes o estoque era de 2,5 mil toneladas.

A carne de baleia é oferecida atualmente apenas em restaurantes de especialidades, além de fazer parte da merenda escolar na maior parte do país. A carne faz parte da dieta local em várias cidades costeiras onde os baleeiros estão autorizados a  pescar

O número de distribuidores de carne de baleia e processadores diminuiu pela metade entre 1999 e 2012, de acordo com estatísticas da indústria. Distribuidores dizem que a carne de baleia tornou-se impopular em grande parte do país por causa do preço alto e também pela imagem negativa. Comer baleia está sendo considerado cada vez mais uma atitude politicamente incorreta, dizem.

Tudo o que sabemos sobre:
Baleias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.