Carrefour pretende investir R$ 3 bi até 2010

Número 1 do varejo deve abrir 70 lojas no próximo ano

Gerusa Marques, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

07 de dezembro de 2007 | 00h00

A rede varejista francesa Carrefour pretende investir R$ 1 bilhão por ano, nos próximos três anos, para a expansão de suas lojas no Brasil. O anúncio foi feito ontem pelo diretor-superintendente do Carrefour no País, Jean Marc-Pueyo, no lançamento de uma nova loja da rede em Brasília. O faturamento do grupo francês no País, neste ano, ficará em torno de R$ 20 bilhões, bem acima do obtido ano passado, de R$ 12,9 bilhões. "Assumimos de novo a liderança do mercado com a compra do Atacadão", assegurou Pueyo, referindo-se à aquisição da rede de atacarejo (uma mistura de atacado e varejo), feita em abril, por R$ 2,2 bilhões.O valor do investimento do grupo francês no Brasil para 2008 é um pouco menor que o do concorrente americano Wal-Mart. Na semana passada, o presidente do Wal-Mart, Vicente Trius, anunciou investimentos de R$ 1,2 bilhão para a abertura de 36 lojas e um centro de distribuição no próximo ano.O Pão de Açúcar não divulgou até agora seus planos para o ano que vem - a rede fecha 2007 com 38 novas lojas, além das 14 que vieram da compra do Assai e cinco do Rossi Monza.A expectativa do Carrefour é a de abrir no próximo ano 70 novas lojas, sendo 20 das redes Carrefour e Atacadão e 50 da Dia%. O grupo francês tem no Brasil 150 lojas Carrefour, 40 pontos-de-venda Atacadão e 300 lojas do Dia%, uma rede de supermercados de desconto.Os recursos das duas redes destinados à expansão são significativos, na avaliação do consultor da Mixxer Desenvolvimento Empresarial, Eugênio Foganholo. "O Carrefour mostra tendência de fortíssima aceleração no crescimento orgânico, principalmente dos modelos Atacadão e Dia%, que estão apresentando os melhores resultados", disse. A decisão da empresa de colocar o pé no acelerador para crescer, depois de alguns anos de inércia, independe, segundo ele, de aquisições.Jean Marc-Pueyo revelou que o Brasil está em terceiro lugar em faturamento no grupo, atrás apenas das lojas na França e na Espanha. A filial brasileira também ocupa a terceira colocação em número de empregos, com 55 mil funcionários. "Sabemos que o Brasil tem um grande potencial, que se confirma com a estabilidade econômica e política", disse, garantindo que a empresa pretende continuar investindo no País. Ele informou que 40% da receita do grupo vem de compras financiadas pelo cartão Carrefour, que hoje chegam a 7 milhões de unidades. O executivo ressaltou também um crescimento, neste ano, de cerca de 10% no número de clientes nas classes C e D e de 2% nas classes A e B. Um dos destaques de venda é a área de informática, que em média cresceu 150%, com a queda nos preços. O Carrefour está investindo R$ 45 milhões no novo hipermercado em Brasília, que será âncora de um shopping programado para ser inaugurado em um ano. A expectativa do grupo é faturar R$ 130 milhões no próximo ano com a loja de Brasília, a maior aberta pelo Carrefour em 2007. Entre reformas e aberturas de lojas na região, o Carrefour investiu este ano R$ 100 milhões.COLABOROU VERA DANTAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.