Carrefour: setor privado quer mais segurança jurídica

O vice-presidente de Assuntos Institucionais do Carrefour, Stephane Engelhard, disse nesta segunda-feira, 26, que a principal demanda do empresariado é, atualmente, estabilidade jurídica. De acordo com ele, este fator é fundamental para que a iniciativa privada tenha confiança para investir no País. "O principal é ter um ambiente de estabilidade, com segurança jurídica", disse ao Broadcast, serviço de informações da Agência Estado, antes de participar de mais um evento da série Cafés da Manhã Estadão Corpora, hoje com o pré-candidato Eduardo Campos (PSB).

WLADIMIR D'ANDRADE, SUZANA INHESTA, FERNANDO TRAVAGLINI E ANA FERNANDES, Agencia Estado

26 de maio de 2014 | 10h29

Apesar da constatação do executivo, Engelhard afirmou que o Grupo Carrefour mantém todos os investimentos programados no País. "Não há desaceleração de investimentos do Carrefour no Brasil". Engelhard disse que 2014 tem se mostrado um ano desafiador pelas incertezas que representam a Copa do Mundo e as eleições. Ele lembrou de resultados decepcionantes para o varejo na Páscoa e no Dia das Mães, além do baixo desempenho do setor no período de festas do fim de 2013. "Está difícil ter previsibilidade", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
EstadãoCorporaCarrefour

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.