Carrefour vai vender energia eólica aos europeus

A varejista francesa Carrefour afirmou que vai vender eletricidade de fontes renováveis para domicílios na Bélgica, com intenção de desenvolver o plano em outros lugares na Europa. "Não temos datas ou prazos, mas a idéia é ir em frente e analisar se podemos lançar o serviço na França, na Itália e na Espanha", declarou o porta-voz Lars Vervoort.O Carrefour vai comprar eletricidade de fornecedores que usam fontes renováveis de energia, como vento e biomassa. Os consumidores poderão assinar os contratos nas próprias lojas do Carrefour. A empresa planeja comprar energia da companhia privada belga Lampiris, segundo Vervoort. Mais de 60% da energia usada será eólica.Outras varejistas européias - como a alemã Arcandor, a britânica Tesco e a Asda, subsidiária da norte-americana Wal-Mart - afirmaram que não têm planos de vender eletricidade a consumidores. Quem optar pela energia vendida pelo Carrefour terá de escolher contratos de um, dois ou três anos e provavelmente vai pagar menos do que atualmente, apesar de os preços variarem de região para região."O objetivo é que o plano seja lucrativo. O desafio será entrar em um mercado dominado por duas empresas", disse Vervoort, em referência à Electrabel e à SPE, ambas da Suez, que juntas controlam a maior parte do mercado de eletricidade da Bélgica.No entanto, nem todos os analistas estão convencidos de que a empresa conseguirá vender eletricidade a preços baixos. De acordo com Koen Dierckx, um analista belga, a eletricidade vendida pelo Carrefour deverá ser mais cara do que a das concorrentes, em razão do alto custo da energia gerada a partir de fontes renováveis.A Comissão Européia, órgão executivo da União Européia, apoiou o plano, que se ajusta ao programa de energia durável europeu, de acordo com um porta-voz da comissão. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.