Carreira nas redes sociais

A revolução digital como norteador de novos paradigmas sociais no mundo contemporâneo é uma realidade incontestável. Nela, independentemente de barreiras geográficas e espaço temporal, inúmeras informações são compartilhadas e novas relações são constituídas, o que define uma nova maneira de entender a sociedade.

RUTH DUARTE, GERENTE DE CARREIRAS DO IBMEC-RJ, O Estado de S. Paulo

12 de maio de 2013 | 02h07

As formas tradicionais do processo de aprendizagem e acesso à informação foram reestruturadas e a internet passou a ser entendida como o principal meio de disseminação de conhecimento. O adestramento digital tornou-se imperativo. Por consequência, surge uma nova ordem econômica social: organizações de todos os segmentos passaram a perceber outras oportunidades de negócios e indivíduos adotaram novos padrões de comportamento em suas rotinas diárias.

Este novo modelo de organização na sociedade, tendo a rede digital como prática social, propiciou o advento de um universo paralelo: as comunidades virtuais. Ferramentas de interação - chats, fóruns, blogs, redes sociais - se organizam a partir de interesses comuns, promovendo um processo colaborativo entre seus membros, estabelecendo-se como um excelente espaço para compartilhar e gerar conhecimento. A rigor, o mundo cibernético e as consequentes redes sociais são as forças motrizes da era contemporânea, formando uma verdadeira socialização sem fronteiras.

Diante deste cenário de "ditadura" digital, pode-se prescindir do recurso das redes sociais na gestão de nossa carreira? Muito pouco provável. Se considerarmos o mercado como competitivo, ágil e globalizado, aderir de forma adequada às ferramentas virtuais só pode ampliar a visibilidade profissional. Esta disseminação de informações nas redes sociais permite compartilhar conhecimentos, pode facilitar a colocação no mercado de trabalho, favorecer uma transição de carreira profissional e ainda potencializar novos negócios.

No entanto, o uso inadequado na utilização destas redes digitais pode ser um salto sem rede para quem quer posicionar a carreira sob as lentes de aumento da internet. O que isso quer dizer? Que você deve atentar-se para alguns passos e cuidados em sua conduta virtual.

Primeiramente, deve refletir a respeito dos seus reais objetivos ao escolher uma determinada rede social. Ferramentas como o LinkedII, por exemplo, são específicas para negócios profissionais. O cuidado ao entrar nesta rede deve ser o de manter atualizado o perfil profissional, promover interações com outros usuários da rede, publicar informações relevantes na sua área de atuação, enfim, torná-la eficaz para promover a visibilidade desejada.

Ferramentas de entretenimento como o Facebook e o Twitter, por exemplo, se forem utilizadas também com fins de contato profissional, não devem ser depositárias de registros feitos aleatoriamente, conduzidas no piloto automático. As informações inseridas são o ponto de contato com o mundo. Então, cuidado, pois elas acabam se portando como seu cartão de visitas.

Em tempos de conexões virtuais, o ambiente corporativo tem lançado mão de redes sociais para captar talentos e entender melhor o perfil pessoal e profissional de seus candidatos. Não muito raro, os próprios colaboradores são vulneráveis a esta avaliação quando a empresa, ou seus gestores são usuários da mesma ferramenta. Prática invasiva? Mas quem pode afirmar isso em tempos de tanta exposição? Ingressando na rede, colocamo-nos inevitavelmente em uma vitrine virtual.

Portanto, se quisermos divulgar nossa marca profissional, devemos ter atenção com as declarações e comentários que postamos, descartar adesão a determinados sites de grupos ("eu odeio acordar cedo", "odeio meu trabalho") que podem afetar nossa imagem no mercado de trabalho, no ambiente corporativo em que atuamos e que podem inibir a realização de novos negócios.

Por fim, estabelecer conexões profissionais através destas ferramentas virtuais é colocar a carreira na mira de holofotes cibernéticos. E lembre-se: adotar uma postura de cordialidade, transparência e ética é imprescindível para que estes recursos passem a ser aliados estratégicos na gestão de nossas carreiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.