Carro de 86 foi o 1º de dois irmãos

Santana está na família há seis anos

O Estadao de S.Paulo

16 de março de 2008 | 00h00

Na família do estudante de publicidade Rodrigo Pasquinelli, 25 anos, não foram só os carrinhos de brinquedo que passaram dos dois irmãos mais velhos para ele. Rodrigo hoje é o feliz proprietário de um Santana 86, que pertenceu durante uns seis anos ao seu irmão mais velho."Comprei em dezembro de 2007. Foi meio que um presente de Natal", comentou. O irmão juntou dinheiro para comprar um carro novo, mas não quis se desfazer do xodó. "Não quero vender para qualquer um. Vão estragar o carro", justificou o irmão ao oferecê-lo para Pasquinelli. O combinado foi pagar os R$ 6 mil do possante em suaves prestações.O Santana foi o primeiro carro dos dois irmãos e o estudante garante que está em ótimo estado. "Meus amigos acham muito bonito, conservado. Muitos querem comprar. O motor está inteiro, é original, nunca deu problema", diz Pasquinelli, que trabalha e estuda com o carro.O carinho do irmão com o Santana era motivo de piada pelo paparico constante - como no habitual alerta aos flanelinhas: "Cuidado com esse carro. Olhe mesmo!" - e de irritação, quando viajavam lentamente pela faixa da direita, para não forçar o motor.Ao se despedir do carro, o irmão se emocionou. "Obrigado, amigão, você nunca me deixou na mão", disse o mais velho. E emendou: "Cuida dele!" A advertência, evidentemente, era para o estudante, sobre o carro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.