Carro importado já está custando mais caro

O anúncio do aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre veículos importados já tem reflexo nos preços dos carros nas concessionárias. Isso porque, tentando se antecipar aos novos valores, houve uma verdadeira corrida do consumidor nos últimos dias às lojas para comprar automóveis, o que fez com que as tabelas de valores fossem reajustadas.

LIGIA TUON / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2011 | 06h07

Em duas das quatro concessionárias visitadas pela reportagem, os preços estavam mais altos. Uma vendedora da Hyundai da Vila Guilherme, na zona norte da capital, disse que os modelos já haviam tido aumento de R$ 2 mil.

No entanto, a informação da fabricante é que, enquanto os estoques não estiverem esgotados, não haverá repasse do aumento do imposto.

Na Chery da Avenida Santos Dumont, também na região da zona norte, o Chery QQ - automóvel importado mais barato vendido no País - era vendido ontem por R$ 28,9 mil, aumento de 20% em relação ao valor antigo (R$23.990).

Na Mit North, concessionária da Mitsubishi localizada na mesma região, o estoque do modelo Mitsubishi ASX esgotou no fim de semana e o gerente não sabia informar se os novos chegariam mais caros, apesar de apostar em um reajuste de, no mínimo, 7%.

A montadora também confirmou que, enquanto ainda houver estoque na fábrica, o valor dos carros permanece inalterado. A previsão é que a nova tabela de valores chegue só em outubro. A JAC Motors foi a única loja visitada que ainda vendia os carros sem reajuste.

Rede social. A roteirista de novelas Tati Bernardi havia pesquisado o valor do Kia Soul nas concessionárias na semana passada e se surpreendeu com os preços atuais. "O Kia Soul, automático, estava R$ 61 mil, mas subiu para R$ 63,9 mil, R$ 64 e até R$ 65 mil", afirmou. Segundo Tati, os vendedores alegaram que foi ordem vinda de cima. Ela entrou em contato com a Kia e recebeu como resposta que a montadora repassava os preços para as concessionárias, mas ainda não havia determinado o aumento.

Após um novo contato com as lojas, Tati ouviu que o carro estava com preço normal, sem nenhum desconto. Ela então manifestou sua indignação pelo Twitter, recebendo várias mensagens de apoio. Questionou o fato de o aumento ter ocorrido antes no novo IPI ter entrado em vigor. "Depois de ter recorrido ao Twitter, a concessionária retornou ao preço antigo e eu comprei o carro", contou Tati.

A Kia Motors comunicou em seu site ofical que os carros faturados até 15 de setembro à rede de concessionárias autorizadas não sofreram alterações de IPI.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.