Jason Henry/The New York Times
Jason Henry/The New York Times

Carros autônomos estimulam contratações em montadoras

Fabricantes de carros de luxo, como BMW, Mercedes-Benz e Audi, estão atraindo especialistas em software enquanto companhias de tecnologia como o Google ameaçam ultrapassá-las na corrida para desenvolver um carro sem motorista

Reuters

15 Setembro 2015 | 02h03

As fabricantes de carros de luxo, como BMW, Mercedes-Benz e Audi, estão atraindo especialistas em software enquanto companhias de tecnologia como Google ameaçam ultrapassá-las na corrida para desenvolver um carro sem motorista.

Conhecimento em software se tornou um novo campo de batalha para as montadoras de veículos e empresas de tecnologia, com carros precisando de linhas de códigos que conectem motor elétrico, smartphones e freios quando o sistema de radar identifica um obstáculo à frente.

Sem reforçar seus conhecimentos digitais, as montadoras alemãs vão enfrentar dificuldades para oferecerem novos recursos sofisticados, como direção autônoma e serviços de compartilhamento de carros para competirem com novos rivais como Google e Uber.

"O que as companhias de carros estão fazendo é contratar pessoas geralmente fora do setor automotivo. Algumas companhias há alguns anos não tinham um departamento de carro conectado. Todas têm isso agora", disse o presidente executivo da empresa de recrutamento Magma People, Malcolm Earp.

Em agosto, BMW, Audi e Mercedes disseram que vão pagar cerca de ¤ 2,5 bilhões (US$ 2,8 bilhões) para comprar a divisão de mapas digitais da Nokia, ultrapassando rivais de tecnologia em um dos serviços vistos como uma das chaves para o futuro dos carros que não precisam de motorista.

A força de trabalho da BMW cresceu 6,2%, para 119,5 mil no final de junho, com a montadora afirmando que vai continuar a recrutar funcionários em 2015 para ajudar "no desenvolvimento de novas tecnologias, incluindo a cada vez maior escala de digitalização."

Na Audi, houve aumento de 8% nos postos de trabalho entre janeiro e junho, para 81,6 mil funcionários. A montadora planeja adicionar mais 6 mil empregados para "apoiar o desenvolvimento de tecnologias pioneiras, bem como para expansão de instalações internacionais".

A controladora da Mercedes, Daimler, afirmou que o quadro de pessoal cresceu 1,6% no primeiro semestre do ano, para 284,4 mil e que o número ao final do ano deve ser maior que em 2014. Em junho, a Daimler Trucks comprou a fornecedora de informações de telemetria Zonar Systems para ajudar no lançamento de serviços como diagnóstico de veículos por satélite voltados a operadoras de frotas de veículos.

No sentido contrário. No último exemplo de cruzamento entre os setores de tecnologia e automóveis, o Google nomeou o veterano John Krafcik, ex-diretor-presidente da Hyundai Motors America, para conduzir seu projeto de carro autônomo.

Entre os carros que receberam o sistema autônomo do Google para testes estão o Toyota Prius e o Lexus RX.

 

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.