Carros: concorrência favorece queda de juros

Bancos de varejo e de montadoras estão brigando palmo a palmo pelo financiamento de veículos. Para o consumidor isso representa taxas de juros menores e mais opções de pagamento. O que significa que na hora de financiar vale a pena bater pernas e pesquisar. Segundo o diretor-executivo da Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef), José Romélio Brasil Ribeiro, é importante que o consumidor preste atenção quando for fechar negócio. Nenhum revendedor pode impor um ou outro banco para fazer o financiamento. Além disso, o consumidor tem de estar atento às taxas oferecidas. As taxas vão de 1,79% a quase 3%, variando de acordo com o valor pago como entrada e o prazo estipulado para o financiamento. Para o diretor da Davox, concessionária da Volkswagen, Eduardo Kohn, há uma grande competição entre os bancos, o que recai na oscilação diária das taxas de juros. Para não perder o cliente, ele chega a negociar com os bancos, negociando taxas mais atrativas. Já Fábio Canesin, gerente de vendas da Amazonas, concessionária Fiat, considera que a proximidade da empresa com o banco da montadora propicia taxas mais atrativas. CDC em altaPara este ano, a Anef estima que os negócios fechados com financiamento cheguem a 80% por conta da estabilidade econômica. Pensando nisso, Ribeiro dá a dica a quem está em dúvida entre comprar um veículo financiado pelo Crédito Direto ao Consumidor (CDC) ou leasing. Ele explica que o CDC é mais simples de entender. "Além disso, a documentação do carro já sai em nome do comprador com alienação. É mais fácil de vender."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.