Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Carros elétricos passam a ter Imposto de Importação zero

Segundo o governo, objetivo é criar mercado para esses produtos para que, futuramente, passem a ser produzidos no País

Lorenna Rodrigues , O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2015 | 02h04

BRASÍLIA - O governo liberou ontem a entrada no Brasil de carros elétricos e movidos a células de combustível sem pagamento de Imposto de Importação e ampliou a redução da alíquota para os chamados carros híbridos, para incluir os veículos com tecnologia de recarga externa.

A queda do Imposto de Importação para carros híbridos foi implementada no ano passado, como início do processo de uma política de incentivo para a produção desses veículos no Brasil.

A ideia de facilitar e baratear a importação é criar um mercado de consumo para esse tipo de veículo para que as empresas sejam estimuladas a produzirem no Brasil. As alíquotas do Imposto de Importação para híbridos caíram de 35% para zero, 2%, 4%, 5% e 7%, de acordo com a eficiência energética do veículo e agregação de valor no Brasil. Como contrapartida, as empresas que importarem se comprometem a agregar valor no Brasil e, mais à frente, produzir no País.

O governo aposta no mercado frotista, como locadoras e táxis, como potencial consumidor. Para eles, o carro híbrido pode ser interessante por causa da economia.

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou ontem, por meio de nota, que a decisão de reduzir a zero a tributação para importação de carros elétricos "visa a incluir o Brasil em novas rotas tecnológicas, que disponibilizam ao consumidor veículos de maior eficiência energética, baixo consumo de combustíveis e reduzida emissão de poluentes".

Segundo o ministério, as medidas "estão alinhadas à política de fomento para novas tecnologias de propulsão e atração de novos investimentos para produção nacional desses veículos".

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.