Carros ficarão em média 5% mais caros

Os preços dos veículos da General Motors devem aumentar cerca de 5% no início de novembro, segundo informaram concessionários da marca. A empresa vai repassar aos consumidores o aumento de custos com matéria-prima, com fornecedores e também o início da cobrança do Pis/Cofins monofásico. Significa que as próprias montadoras vão recolher diretamente o imposto, hoje pago em cascata por setores da cadeia automobilística, como os fabricantes de autopeças.Só essa mudança representará um reajuste entre 1% a 1,5% no preço final dos automóveis. Já os modelos populares, caso a proposta de manutenção do IPI em 9% não seja aprovada pela Receita Federal, terão reajustes extras de aproximadamente R$ 300 a R$ 500.Os revendedores da GM informaram que vão reforçar seus estoques até a próxima semana para escapar desse reajuste, o segundo em menos de um mês. No dia 11, a montadora anunciou aumentos de 1% a 2% para a maioria dos modelos da marca.A Ford e a Fiat também já confirmaram que os preços dos carros devem subir novamente no próximo mês, mas ainda não revelaram porcentuais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.