Carta de intenções e memorandos já estão no site do FMI

O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou hoje em seu site na Internet a carta de intenções do governo brasileiro e as cópias dos memorandos de política econômica e técnico de entendimento do último acordo firmado com o País. O acordo foi oficialmente aprovado hoje pela diretoria executiva do Fundo. O governo brasileiro já pode sacar cerca de US$ 3 bilhões do empréstimo total de US$ 30 bilhões aprovado. A carta de intenções é assinada pelo ministro da Fazenda, Pedro Malan, e pelo presidente do Banco Central, Armínio Fraga, e endereçada ao diretor-gerente do Fundo, Horst Köhler. A carta de intenções descreve as políticas que o governo brasileiro pretende implementar dentro do contexto do suporte financeiro solicitado ao FMI. No documento, Malan e Fraga solicitam o cancelamento do acordo aprovado em 14 de setembro de 2001, que havia liberado ao Brasil cerca de US$ 15,4 bilhões. Segundo explicações dos dois membros da equipe econômica brasileira, o novo programa com o Fundo foi feito com o objetivo de reduzir as incertezas que persistem no cenário externo em relação ao futuro da economia. "Os principais pontos do programa foram repassados aos candidatos (às eleições presidenciais) e eles se comprometeram a dar suporte ao acordo", afirmam Malan e Fraga na carta. Mais uma vez, os representantes do governo brasileiro reforçam a crença de que as políticas descritas nos dois memorandos irão promover o crescimento sustentável da produção e do emprego no País, mantendo sob controle a inflação e "viabilidade externa" "apesar do difícil cenário atual".Assim como no Memorando de Política Econômica, Malan e Fraga ressaltam na carta de intenções que o governo brasileiro continua preparado para tomar qualquer outra medida adicional que seja necessária para garantir o cumprimento dos objetivos descritos nos documentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.