Cartão de crédito com chip no mercado

Até o fim do ano, estarão no mercado brasileiro mais 1,2 milhão de cartões de crédito com chip, que exige o uso de senha para validar as operações e dispensa a assinatura de comprovantes, emitidos por seis instituições financeiras. Ontem, foi oficialmente lançado o cartão com chip da Mastercard com previsão de atender 240 mil clientes em São Paulo, Rio, Brasília e quatro municípios do interior de São Paulo.Desde o ano passado, a Visa dispõe do produto em Campinas (SP) e, este mês, o lança também em Fortaleza, Rio e Brasília, podendo atingir 1 milhão de cartões emitidos. Nesta primeira etapa, os terminais de leitura dos novos cartões estão instalados em cidades selecionadas pelas administradoras que correspondem a 30% do volume de operações da Visa e 75% da Mastercard.A previsão é de que, em até quatro anos, todos os clientes e lojistas das redes no Brasil utilizem o chip - aparentemente, no cartão, uma tarja metálica dourada, com capacidade de armazenar informações. Para os bancos emissores, a nova tecnologia significa menos perdas, por causa da menor incidência de débitos indevidos e clientes mais satisfeitos com a maior segurança que a nova plataforma oferece. A tecnologia permitirá ainda agregar outros serviços no mesmo cartão múltiplo, como o débito ou o pagamento imediato.Segundo dados da Mastercard, na Inglaterra, onde o chip é usado em 14 milhões de cartões, o índice de fraudes é zero. No Brasil, o Bradesco, que tem 500 mil cartões emitidos pela bandeira Visa, confirma a importância dessa segurança. De acordo com o diretor do Bradesco Cartões, Sidnei Nascimento, o gasto com o custo maior do plástico do cartão com chip é compensado pelo benefício que traz. Segundo ele, dependendo da quantidade a ser comprada, o cartão com chip sai de US$ 2,00 a US$ 3,00 mais caro por unidade que o de tarja magnética. Bradesco é o único que oferece o serviçoO Bradesco é o único emissor que começa a oferecer serviços além do crédito no cartão com chip, mas, por enquanto, apenas para alguns clientes em Campinas. As demais instituições financeiras, neste ano, só irão dispor de crédito e vender o produto a clientes preferenciais. A Caixa Econômica Federal, segundo o superintendente nacional de Cartões e Serviços, Eduardo Barreto, deve emitir 60 mil cartões com chip até o fim do ano, visando, principalmente, o ganho imediato com segurança.Cartão do ABN está prontoNo ABN-Amro/Real a previsão é de que de 30 mil a 50 mil clientes deixem de usar apenas a tarja magnética em seus cartões de crédito. O diretor da área de cartões do banco, José Canoto da Cunha, explica que o produto está pronto mas ainda não está sendo oferecido aos clientes. Cunha explica que o Real, por enquanto, só trabalha com a bandeira Mastercard, que está adaptada ao padrão europeu EMV (desenvolvido pela Europay, a Mastercard e a Visa juntas).A partir do ano que vem, a Visa deve adotar o mesmo padrão, mas, o usado atualmente também é lido pelos mesmos terminais. Segundo o diretor de Marketing da Visa, Gastão Mattos, há possibilidade de a rede adotar o chip também em São Paulo já no ano que vem, dependendo do resultado da instalação no Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.