Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Cartão de crédito deve superar financiamento de veículos na carteira dos bancos até 2016

Se ritmo de crescimento do cartão de crédito se manter, segmento passará para a terceira colocação com a menor quantidade de financiamento de veículos

Aline Bronzati, O Estado de S. Paulo

21 Maio 2015 | 16h21

SÃO PAULO - O cartão de crédito caminha para ultrapassar o financiamento de veículos entre o final deste ano e o começo de 2016, galgando a terceira posição, segundo o presidente da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). Atualmente, o segmento está na quarta colocação, conforme dados do Banco Central.

"Se o ritmo de crescimento do cartão de crédito no primeiro trimestre continuar e o financiamento de veículos permanecer reduzindo, provavelmente no final deste ano ou no máximo até o começo de 2016, o cartão deve cruzar e ir para a terceira posição", disse Marcelo Noronha, presidente da Abecs.


Com os cerca de R$ 157 bilhões registrados no primeiro trimestre, cartão de crédito está na quarta colocação, com participação de 10,8%, contra R$ 180 bilhões de veículos, na terceira posição e participação de 12,5%. O primeiro lugar está nas mãos do crédito imobiliário, cujo tíquete é bem mais elevado, com R$ 452 bilhões. Em seguida vem o crédito pessoal com R$ 362 bilhões.

O crédito rotativo do cartão de crédito, aquele em que o consumidor não liquida o total da fatura e passa o montante para o mês seguinte, representou 2,1% do estoque do crédito no primeiro trimestre, conforme dados do BC, abaixo dos 2,2% registrados um ano antes. "A maioria das pessoas que entra no rotativo passa poucos dias e vai embora. Há um segundo grupo que são inadimplentes e outro que se recompõe e parcela a fatura junto ao emissor", disse Noronha.

O porcentual das compras parceladas e sem juro da pessoa física direcionadas ao consumo foi a 50,2% do volume de crédito na concessão mensal de crédito à pessoa física no primeiro trimestre.

Expansão. Os cartões de débito e crédito movimentaram R$ 246,6 bilhões no primeiro trimestre deste ano, expansão de 10,6% na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). Foram 2,6 bilhões de transações com plásticos de janeiro a março, segundo a entidade, 9,6% a mais, em idêntica base de comparação.

"O número do primeiro foi importante, o setor continua crescendo, substituindo meios de pagamentos e se transformando no principal meio de financiamento ao consumo de bens e serviços", avaliou Marcelo Noronha, presidente da Abecs. "Vamos superar facilmente 10 bilhões em transações neste ano", acrescentou.

Consumo das famílias. Apesar da expansão no trimestre, o mercado de cartões deve crescer abaixo da previsão da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) neste ano, de aumento de 12% a 13%, para R$ 1,1 trilhão. A expansão, contudo, de acordo com Noronha, deve ficar acima de 10%, mantendo a trajetória de avanço anual de dois dígitos. Em 2014, o crescimento foi de 14,8%, para R$ 978,8 bilhões.

"Se o consumo das famílias melhorar, o crescimento do mercado de cartões pode voltar para a previsão, mas se piorar podemos rever. Vamos esperar o segundo trimestre para fazer uma revisão oficial", explicou Noronha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.