Cartão de crédito lidera financiamento da baixa renda

O cartão de crédito é a opção de financiamento mais utilizada pela fatia de consumidores pertencente à baixa renda. Enquanto no universo de todos portadores 26,2% usam o cheque especial, por exemplo, entre os usuários de menor poder aquisitivo a utilização é de apenas 4,9%. A grande maioria usa o parcelamento sem juros como opção de pagamento das compras, perto de 80,5%, contra cerca de 35% da média de todos os usuários de cartões. Os dados são de um estudo realizado pela Credicard.Já o volume de transações com cartão de crédito realizadas por portadores do segmento de baixa renda deverá registrar um crescimento de 20,9% este ano em relação ao ano passado, somando R$ 6,6 bilhões. Esta faixa terá em mãos 10,5 milhões de plásticos até dezembro, volume 19,2% maior que em 2003, segundo pesquisa realizada pela Credicard, emissora de cartões de crédito. Até o final de 2004, a população de baixa renda responderá por 20,6% da quantidade de plásticos do mercado e 6,6% do faturamento total, estimado em R$ 100 bilhões.É classificado como baixa renda o portador de cartão com renda individual mensal entre R$ 200 e R$ 500. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há 25 milhões de pessoas nesse grupo, que correspondem a 39% da População Economicamente Ativa (PEA). Em 1998, 10% da população de baixa renda possuía cartão de crédito; em 2004, esse percentual aumentou para 25%.Na avaliação da Credicard, o crescimento de 36,9% na base de cartões do segmento entre 2001 e 2004 - o volume no período passou de 7,66 milhões para 10,5 milhões - reflete uma mudança cultural na utilização de meios de pagamento e a incorporação do cartão de crédito aos hábitos do consumidor. O volume de transações da baixa renda nestes quatro anos aumentou de R$ 3,4 bilhões para R$ 6,6 bilhões, o que significa uma expansão de 94,9%, mais do que cresceu o mercado total (70,8%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.