Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Carteira de crédito do BB atinge R$ 137 bi até setembro

A carteira de crédito do Banco do Brasil atingiu R$ 137,6 bilhões até setembro, um crescimento de 27,5% em relação ao terceiro trimestre do ano passado e de 3,5% na comparação com o segundo trimestre de 2007. A carteira total (País e Exterior) chegou a R$ 150,2 bilhões, evolução de 26,9% em relação a setembro de 2006. As operações com pessoas físicas cresceram 27,3% e com as pessoas jurídicas, 34,3%, se comparadas ao terceiro trimestre de 2006. As receitas de operações de crédito somaram R$ 6,5 bilhões no período, valor 21,6% superior ao observado no terceiro trimestre de 2006. A inadimplência, segundo a instituição, manteve-se sob controle, garantindo a estabilidade das provisões para crédito de liquidação duvidosa. O Banco do Brasil encerrou o terceiro trimestre com R$ 11 bilhões na carteira de crédito consignado, um incremento de 49,8% em relação a setembro de 2006 e de 8,3% em relação a junho de 2007. A carteira de crédito para micro e pequenas empresas alcançou R$ 22,3 bilhões no final do período, 32,9% a mais que em setembro de 2006. As operações de crédito para grandes e médias empresas, que incluem operações de crédito agroindustriais e aquelas registradas no exterior, alcançaram R$ 51,8 bilhões em setembro, crescimento de 33% em relação a setembro de 2006. A carteira de agronegócios registrou saldo de R$ 48,4 bilhões no semestre, crescimento de 20,2% contra setembro de 2006. BalançoCom o resultado do terceiro trimestre, que registrou um lucro líquido de R$ 1,4 bilhão, o Banco do Brasil acumula este ano um lucro de R$ 3,8 bilhões até setembro. Segundo os dados divulgados hoje pela instituição, o lucro no terceiro trimestre é 27,7% superior ao do segundo trimestre e 50,3% maior que o mesmo período de 2006. O resultado do período corresponde a um retorno sobre patrimônio líquido anualizado de 26,3% no trimestre e lucro por ação igual a R$ 0,55, contra R$ 0,37 em setembro de 2006. Com esse resultado, a título de remuneração aos acionistas, serão distribuídos R$ 545,6 milhões, sendo R$ 333,4 milhões como juros sobre o capital próprio e R$ 212,2 milhões na forma de dividendos.

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

13 de novembro de 2007 | 09h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.