Cartier terá sua terceira loja no Brasil

Sinônimo de luxo, a Cartier prepara-se para inaugurar sua terceira loja própria no Brasil. Maxime Tarneaud, gerente-geral da grife no Brasil, vê o mercado doméstico com enorme potencial de expansão. "Comparada a outras grifes de luxo, como Tiffany's e Louis Vuitton, nossa presença ainda não é tão grande no País", disse.

Mônica Scaramuzzo, O Estado de S.Paulo

04 Maio 2015 | 02h02

Segundo ele, o Brasil tem atraído muitas marcas e pode avançar ainda mais. Essas grifes estão concentradas no eixo Rio-São Paulo-Brasília.

A marca está presente no Brasil desde 1978, com escritório. Sua primeira loja, foi inaugurada em 1997 na rua Haddock Lobo, nos Jardins. No ano seguinte, uma loja foi aberta em Ipanema, no Rio. A companhia decidiu fechar as lojas de rua para migrar para os shoppings. Em 2012, inaugurou uma loja no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo, e a outra no Rio, no Village Mall.

"Sempre quisemos estar no Iguatemi. As conversas começaram há mais de 10 anos. Teremos a nossa maior loja do País, com cerca de 300 metros quadrados em dois andares. As coisas aconteceram no momento certo."

Os preços dos produtos Cartier no Brasil têm uma diferença, em média, de 15% mais comparado aos produtos dos EUA. "Não abrimos mão de rentabilidade", disse. Sem dar detalhes, o executivo informou que as vendas no primeiro trimestre no País foram acima de dois dígitos, beneficiadas pelo aumento do dólar.

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. PauloCartierloja

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.