Cartões de débito foram mais utilizados no Natal

Os cartões de débito ganharam importância neste Natal, substituindo os talões de cheque. Gastão Mattos, diretor executivo de marketing dos cartões Visa, observa que em 1999 havia 17 milhões de cartões de débito da marca em circulação e hoje já são 35 milhões. O volume de negócios com o uso de cartões de débito Visa Electron atingiu R$ 520 milhões neste mês de dezembro contra R$ 580 milhões em todo o ano de 1999. Mattos diz que os cartões de débito estão substituindo os cheques por gerarem benefícios como praticidade para o consumidor e segurança para o lojista, além de menor custo administrativo para os bancos. Ele acrescenta que a expectativa é que nos próximos cinco anos a receita dos cartões de débito supere a dos de crédito. Segundo Mattos, o consumidor que utilizou cartões de crédito e débito em suas compras manteve o mesmo perfil de consumo do ano passado. As compras concentraram-se em roupas, calçados e acessórios, livros, CDs e perfumes. Os valores gastos no Natal são superiores à média do resto do ano: R$ 60,00 para cartões de crédito e R$ 30,00 para cartões de débito. Redução da Selic ainda não foi repassada ao cartão de créditoO diretor da Visa afirma ainda que a redução da Selic, a taxa básica referencial da economia, de 16,5% para 15,75% ao ano este mês, somente terá impacto na indústria de cartões de crédito em fevereiro. Ele observa que algumas instituições já reduziram os juros, mas uma queda por exemplo da taxa média de 10% para 8% ao mês poderá se consolidar em janeiro e ter reflexo nas faturas de fevereiro de 2001. Mesmo assim, o nível dos juros ainda é muito elevado para o consumidor. O faturamento dos cartões de crédito Visa em dezembro foi da ordem de R$ 3,2 bilhões e houve financiamento em menos de 20% das compras.

Agencia Estado,

28 de dezembro de 2000 | 18h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.