Cartões virtuais: mais segurança na Internet

Muitas pessoas não fazem compras pela Internet por ter receio de que seu número e senha do cartão de crédito fiquem desprotegidos e, dessa forma, possam ser utilizados por pessoas de má fé. Mas, há um ano, com o lançamento do cartão de crédito virtual pelo Unibanco em conjunto com a Visa e a Mastercard, esse tipo de fraude ficou mais difícil. Depois do Unibanco, o Itaú e o Bradesco também lançaram um cartão virtual com as duas bandeiras.Para quem está acostumado a utilizar o cartão de crédito tradicional, o virtual não apresenta surpresas. Ele funciona da mesma maneira que o tradicional, só que não existe fisicamente. Por enquanto, apenas os clientes dos três bancos podem ter o cartão, que é adquirido pela Internet (veja links abaixo).O Procon-SP, órgão de defesa do consumidor, orienta os consumidores que quiserem adquirir um cartão virtual a lerem o contrato com bastante atenção e solicitarem que a empresa envie uma cópia pelo correio. Isso porque os documentos que existem apenas na Internet, mesmo impressos, não têm nenhum valor legal.O cartão virtual é mais seguro Um estudo preventivo realizado pelo Procon-SP para verificar as condições de operação, segurança e contrato dos cartões virtuais comprovou que o produto é mais seguro do que o tradicional. "A segurança realmente é maior, pois, como ele não existe fisicamente, o consumidor não corre o risco de perda ou roubo. Só ele sabe qual é o número e a senha de seu cartão", diz a técnica da diretoria de programas especiais do Procon-SP, Renata Saad.Para o diretor técnico da Intersix, empresa especializada em segurança na Internet, Fernando Tasso, o cartão virtual é mais seguro porque não deixa os dados do consumidor disponíveis na rede. Ele explica que quando os dados do cartão tradicional são fornecidos à loja para efetuar uma compra as informações ficam armazenadas no banco de dados da loja, que pode ser violado e copiado. Com o cartão virtual, ao efetuar a compra, o consumidor só precisa digitar sua senha para autoriza a loja a cobrar o valor da administradora. As administradoras garantem 100% de segurança para o cliente que utilizar o novo produto. Compras não realizadas devem ser ressarcidasO Procon não aconselha os consumidores a fazerem compras pela Internet utilizando o cartão tradicional. "Se for inevitável, o consumidor deve verificar com a loja como suas informações serão guardadas",diz Renata Saad. Se, ao utilizar o cartão tradicional para fazer compras pela Internet, forem computados valores não utilizados, ele deve procurar um órgão de defesa do consumidor para solicitar ressarcimento. "A administradora terá de provar que foi você quem fez as compras. Caso contrário, se o valor já foi pago, deve ser devolvido em dobro",diz Renata Saad.

Agencia Estado,

14 de dezembro de 2000 | 11h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.