Casino examinará oferta do BTG Pactual, diz fonte

Grupo francês aguardava um movimento de Abilio Diniz, mas não imaginava a complexidade e a extensão da proposta que surgiu, afirma a fonte

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

28 de junho de 2011 | 16h47

O Casino foi surpreendido pela proposta arrojada do banco de investimento brasileiro BTG Pactual para fundir o Pão de Açúcar com as operações do Carrefour no Brasil, mas mesmo assim vai analisar os planos, segundo uma fonte familiarizada com o assunto, que pediu para não ser identificada.

O Casino estava esperando um movimento, após relatos surgirem na imprensa no mês passado sobre as negociações entre o empresário brasileiro Abilio Diniz, seu parceiro no controle do Pão de Açúcar (Companhia Brasileira de Distribuição, ou CBD), e o Carrefour, declarou a fonte. Mas o grupo francês nunca imaginou a complexidade e a extensão da proposta que surgiu, acrescentou.

A primeira reação do Casino foi negativa, porque a companhia poderia acabar como um acionista da Carrefour, e por causa do valor de mercado utilizado para a filial brasileira, de acordo com a fonte.

"Economicamente, isso não parece bom para o acionista", disse a fonte. "Você estaria usando o dinheiro para investir não só no Brasil, mas também na Europa."

A fonte afirmou também que se o Casino considerar que a transação faz sentido, o grupo estaria preparado para abandonar sua opção para tomar o controle da CBD em 2012. "Isso não será o principal problema", disse.

Outra fonte próxima às negociações afirmou que, ao aceitar a oferta, o Casino fará parte de um grupo muito maior, bloqueando qualquer chance de outros competidores se unirem.

Um outro problema seria como restabelecer a relação e a confiança entre o Casino e a família Diniz, que ficaram abaladas após rumores sobre as negociações entre Diniz e o Carrefour. As informações são da Dow Jones.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.