Catar vai investir em gás natural na Venezuela

O Catar vai adquirir uma participação de 8% no projeto de gás natural liquefeito da Venzuela, avaliado em US$ 2,5 bilhões, já que a estatal Petróleos de Venezuela SA (PdVSA) reduziu sua participação de 60% para 52%, disse o ministro de petróleo do país, Rafael Ramírez. "Esse é um acordo definitivo", afirmou Ramírez. Ele espera que o governo de Catar, a PdVSA e dois outros parceiros no projeto, a Mitsubishi Corp. e a Royal Dutch/Shell, assinem um acordo de desenvolvimento do projeto até o final deste mês. No projeto, a Shell terá uma participação de 30%, e a Mitsubishi, 8%. Os outros 2% deverão ir para o mercado de ações local. O projeto é crucial para os esforços da Venezuela de se tornar uma grande produtora e exportadora de gás natural liquefeito e vai permitir também o desenvolvimento de campos de gás ao sul de Trinidad, na plataforma Orinoco Delta. O país tem as maiores reservas de gás natural da América Latina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.