Cautela continuará nos negócios na Bovespa

O mercado acionário doméstico deve abrir a semana com o pé atrás. A expectativa é que os investidores continuem cautelosos, monitorando de perto o mercado americano e os próximos capítulos da novela política em que se transformou a disputa pelas presidências da Câmara e do Senado. O futuro do Ibovespa trabalhava em baixa de 0,64%. A tensão política só deverá se dissipar na quarta-feira que vem, dia 14, quando serão escolhidos os presidentes da Câmara e do Senado. Outro motivo que pode gerar intranquilidade na bolsa é o vencimento, também no dia 14, dos contratos futuros do Ibovespa, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). Nos últimos dias, segundo operadores, já houve antecipação de negócios do índice futuro, o que contribuiu para a queda do Ibovespa. Depois da enxurrada de balanços de empresas americanas, agora chegou a vez dos balanços das companhias brasileiras. Como mexe com a cotação dos papéis, esses números são muito esperados pelos analistas. O Bradesco divulgou hoje lucro 57,6% maior do que o de 1999, equivalente a R$ 1,740 bi. Saiu instantes atrás o lucro da Embratel no ano passado, de R$ 577 mi. Telemar, Vale do Rio Doce, Itaú e Souza Cruz também divulgam resultados nos próximos dias. Nos EUA, está prevista para hoje a divulgação dos números da Pepsico e amanhã saem os números da Cisco Systems e da Walt Disney. Essa é uma semana fraca de indicadores americanos. Hoje será anunciado o NAPM de produtos não-manufaturados, referente a janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.