Cautela da Fitch deve frear otimismo brasileiro

Fontes de mercado consultadas pela Agência Estado alertam que o clima de otimismo criado ontem pela decisão da Moody´s de colocar os ratings soberanos do Brasil em "perspectiva positiva" poderá hoje sofrer um pequeno solavanco, pois outra agência de classificação de risco, a Fitch, deve divulgar uma posição bem mais cautelosa em relação às perspectivas da economia brasileira. A classificação dos soberanos do Brasil na Fitch estão num patamar superior aos da Moody´s, mas sob "perspectiva negativa". Esse status deverá ser, no mínimo, reafirmado hoje.Em declarações recentes, diretores da Fitch vêm ressaltando que o país ainda apresenta vulnerabilidade no longo prazo. A agência acredita que o governo deveria realizar um maior aperto fiscal, pois o déficit orçamentário continua num nível preocupante. A possibilidade de novas oscilações cambiais e a manutenção de altas taxas de juros continuam gerando preocupações sobre a dívida pública. A rolagem das dívidas denominadas em dólares do setor corporativo também são fatores de preocupação na avaliação da Fitch.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.