Cautela marca operações do mercado de juros

O mercado de juros persistiu no ritmo de cautela durante toda a manhã. As taxas futuras permaneceram apontando ligeira alta, expressando a preocupação dos analistas com os eventuais efeitos da economia norte-americana sobre o País e, em menor escala, com o noticiário político. No final da manhã, o contrato de outubro, o mais negociado, projetava taxa de 15,47%, contra a taxa de 15,38% do fechamento de sexta-feira. O DI a termo de um ano tinha taxa de 15,80%. Na sexta-feira, o fechamento foi em 15,70%. Segundo operadores, durante os próximos dias, a expectativa em relação à divulgação dos números sobre a economia norte-americana deve manter o mercado de sobreaviso por aqui. Analistas ainda aguardam os sinais sobre a dimensão do desaquecimento que acontece na economia dos EUA. Ninguém acredita que, por ora, haja riscos de uma alta na taxa de juros local. Mas, sem dúvida, um movimento recessivo naquele país poderia comprometer o fluxo cambial doméstico e tornar perigosa a continuidade da trajetória da taxa Selic esperada para este ano. O cenário político, ainda tenso em relação às negociações sobre a sucessão no Congresso, vem apenas reforçar a atitude de cautela do mercado. O noticiário do final de semana sobre as negociações em Brasília foi considerado "entre neutro e negativo" pelos profissionais. Mas, por ora, também não é apontado como fator de nervosismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.