Cautela permanece com noticiário e vencimentos

Os efeitos do vencimento mais pesado de dívida cambial deste mês (US$ 3,6 bilhões que vencem hoje) passaram e as instituições financeiras estão ajustadas às novas regras do Banco Central sobre posições compradas em dólar e compulsório. Com isso, o mercado de câmbio hoje deve retornar as atenções para o fluxo de recursos onde os vencimentos da dívida privada em dólar são o destaque dos próximos dias. Também há o vencimento de mais US$ 1,092 bilhão em contratos atrelados à variação do câmbio no dia 23. Os investidores devem também começar a dar mais importância aos passos do segundo turno da eleição presidencial. No cenário interno devem pesar ainda as avaliações dos analistas sobre a alta de juro definida no início da semana. Com essa decisão, as previsões de médio e longo prazos para a economia nacional ficaram piores. Alguns comentários consideram que o aumento do juro é compatível com a meta inflacionária, mas outros acrescentam que a medida é recessiva e isso não é bom para a atividade econômica, para a arrecadação e, conseqüentemente, para a administração da dívida pública.Para hoje, a estimativa dos operadores é de que o dólar registrará estabilidade ou ligeira alta nos primeiros negócios do dia, justamente pelos motivos técnicos citados (vencimentos). Eles acrescentam, no entanto, que novidades no noticiário serão importantes para definir a trajetória do decorrer do dia. Na abertura dos negócios, às 10h02, o dólar comercial estava sendo vendido a R$ 3,9200, estável em relação ao fechamento de ontem. Veja aqui a cotação do dólar dos últimos negócios. Já no mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagavam taxas de 25,500%, frente a 24,690% ao ano negociados ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo operava em alta de 2,22%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.