CDBs do Banco Santos podem afetar fundos de outras instituições

O possível impacto na rentabilidade de fundos de renda fixa que possuíam Certificados de Depósito Bancário (CDBs) do Banco Santos na carteira foi o tema de maior relevância hoje no mercado sobre a intervenção do banco, decretada na última sexta-feira pelo Banco Central.Os fundos de investimento do próprio Banco Santos devem ser os mais afetados pela perda de valor dos CDBs. Há um limite de participação de até 20% desses papéis em relação ao patrimônio total do fundo. O comentário que circulava hoje no mercado é de que os fundos do Santos estariam muito próximos ou em cima deste limite. Outros fundos de renda fixa que possuem os CDBs ou cotas de alguns dos fundos do banco também teriam sua rentabilidade afetada.De acordo com o sócio diretor da consultoria Austin Asis, Erivelto Rodriguez, o banco somava um total de R$ 1,8 bilhão em CDBs, contra uma carteira de crédito de R$ 3 bilhões e cerca de R$ 1 bilhão em títulos públicos federais. "Ou seja, caso não exista fraude no balanço, há recursos para pagar aos investidores prejudicados. Mas eles terão de esperar todo o processo que está sendo tocado agora pelo BC", comenta Rodriguez. Ele acredita que os cotistas do Banco Santos - mais uma vez, desde que não exista fraude nos balanços - não terão maiores problemas para rever seus recursos, apesar da determinação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) de suspender qualquer movimentação destes fundos, a partir de hoje, pelo período de 30 dias. "Acredito que a solução neste caso seja a de transferir esses recursos para outro gestor", estima.O diretor da Austin Asis acredita ainda em uma "solução pacífica" no desfecho da intervenção no Santos, que possivelmente passará pela venda do banco para outra instituição financeira, obviamente por um preço bem abaixo do valor patrimonial do banco.Como um banco inexpressivo em termos de tesouraria, basicamente voltada para a prestação de serviços, os problemas financeiros do Banco Santos não resultaram em falhas de pagamento para os agentes do sistema financeiro, não sendo necessária até o momento a execução de garantias pelas "clearings" de câmbio, de ativos ou de pagamentos interbancários para cobrir eventuais calotes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.