CDES não faz oposição à política do governo, diz Tarso

O ministro do Conselho de Desenvolvimento Econômico Social, Tarso Genro, afirmou que o órgão não faz oposição à política de governo e nem tem como objetivo formular políticas econômicas. Segundo Genro, as matérias publicadas ontem que alegavam que o Conselho estava preparando um documento com críticas à política econômica são "completamente destituidas de realidade". "O Conselho não é um órgão de formulação de política econômica nem de oposição à política do governo. Não está em discussão a capacidade e competência do ministro Palocci", disse Genro no início da reunião do Conselho, que conta com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do Ministro da Fazenda Antônio Palocci. Segundo Genro, o papel do Conselho é fazer uma discussão aberta com a sociedade para trazer contribuições ao governo. "A sociedade não está acostumada com isso. Acostumou-se com soluções autoritárias e, por isso, é natural que ocorram equivocos como esses", disse. Dirigindo-se pessoalmente ao ministro Palocci, Genro disse que tem grande afeição e respeito pelo ministro e que a presença dele na reunião do Conselho prestigia o órgão. Setúbal quer alteração no txto do relatórioO presidente do Banco Itaú, Roberto Setúbal, disse ao chegar para a reunião que se o relatório sobre crescimento econômico for colocado em debate, ele apresentará algumas sugestões de alteração do texto. "O relatório não é consenso dentro do Conselho. Acho que não se deve propor alterações nas políticas fiscal e monetária do governo, onde tem sido obtido um grande resultado", disse.

Agencia Estado,

04 de setembro de 2003 | 10h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.