Ceagesp: veja os produtos em alta

Segundo o economista chefe da Ceagesp, Flávio Luís Godas, o inverno é propício para a produção de hortifrutigrangeiros em geral. O fator que desequilibra os preços é a geada. Como para este ano a previsão é de um inverno rigoroso, alguns produtos podem subir mais de 50% de um dia para outro. Foi o caso do alface, espinafre e abobrinha.Na quinta-feira da semana passada, um geada forte na região de Mogi fez os produtores perderem até 50% da colheita. No dia seguinte, os preços no atacado subiram 30% e no final de semana ficaram cerca de 15% mais caros nas feiras livres. Godas explica que os preços agora já recuaram, já que os atacadistas buscam comprar esses produtos de outros locais que não foram afetados pelas geadas. A oferta aumenta de novo e os preços caem. Como aproveitar as melhores ofertas O economista da Ceagesp dá uma lista que pode servir de guia para o consumidor que vai às compras. Nesta semana, os produtos que estão com melhores preços são morango, laranja pera, maçã, tangerina poncã e banana nanica entre as frutas. Entre os legumes e verduras, o preço da beringela caiu 10% neste mês em relação ao mês de maio. O pimentão e o tomate caíram cerca de 20%. Cuidado com os produtos que estão na faixa de alta Começando pelas frutas, Flávio Godas destaca o limão e o mamão papaia, cujos preços subiram 20% desde o mês passado. Mais sensíveis às baixas temperaturas, o alface, o chuchu, a vagem e a abobrinha estão em alta, subiram em média 20%.Além das geadas em julho, a partir do segundo semestre, em agosto, outros produtos podem ficar mais caros em função da seca. Segundo Godas, esse reflexo se dará principalmente em algumas frutas, como morango e limão que estão em fase de plantio e podem ter o desenvolvimento afetado e uma colheita abaixo da esperada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.