Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

CEF dobra limite para saque na conta vinculada do FGTS

A Caixa Econômica Federal elevou de R$ 300,00 para R$ 600,00 o limite máximo de saque na conta vinculada do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) que pode ser retirado pelo trabalhador nas casas lotéricas, correspondentes bancários e terminais de auto-atendimento. O novo valor entrou em vigor ontem e, segundo a Caixa, vai beneficiar mais de 1,1 milhão de brasileiros, todos os meses. Esse é o número de trabalhadores que mensalmente sacam o FGTS até este valor.Para fazer o saque na rede alternativa, ou seja, fora das agências da instituição, é preciso que o trabalhador possua o Cartão do Cidadão, com senha válida. Ele pode ser solicitado em qualquer agência da Caixa, mediante a apresentação de documentos pessoais e do comprovante de residência. O pedido também pode ser feito pelo Disque-Caixa (08005740101), que atende das 7h às 20h, de segunda a sexta-feira.A Caixa informa que, até o momento, já emitiu mais de 56 milhões de unidades do Cartão do Cidadão. Com ele o trabalhador pode consultar o saldo do FGTS, do PIS e ainda sacar os benefícios de diversos programas sociais do Governo Federal.No caso do saque do FGTS, o trabalhador deve comparecer antes a agência da Caixa, levando os documentos relativos ao motivo de saque ( rescisão do contrato de trabalho e autorização de movimentação da conta vinculada). O pagamento será feito em 5 dias úteis. Na data marcada, o trabalhador faz a retirada na agência que escolher ou, se o valor for de até R$ 600,00, na rede lotérica, nos correspondentes bancários ou nas máquinas de auto-atendimento, com o uso do Cartão do Cidadão, com senha registrada.A Caixa faz, em média 1,63 milhão de operações de saques nas contas do FGTS a cada mês, envolvendo valores da ordem de R$ 1,6 bilhão. O saque médio é de R$ 983,00. O aumento do valor-limite de retirada por um canal alternativo trará, segundo a instituição, mais comodidade e facilidade de acesso a uma maior parcela de clientes, sem comprometer a segurança da transação.A nova medida vai alcançar cerca de 72% da quantidade total de saques, com expectativa de valor em torno de R$ 231 milhões. Ela vale tanto para a retirada normal do FGTS (saques motivados por demissão sem justa causa) quanto para os créditos complementares (pagamento da diferença de correção monetária devida aos trabalhadores por ocasião dos planos Verão e Collor 1).

Agencia Estado,

27 de julho de 2005 | 21h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.