CEF e BB oferecem fundo imobiliário

O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal (CEF) também lançarão cotas de fundos imobiliários. O objetivo das duas estatais é alcançar o varejo. No caso da CEF, a instituição venderá cotas a R$ 1 mil dos shoppings do seu Fundo de Pensão (Funcef). Já no Banco do Brasil, o projeto está sendo analisado pela diretoria, mas a idéia é vender cotas a R$ 5 mil ou menos. Os produtos das duas instituições não garantirão rentabilidade mínima.A CEF estuda vender cotas de 12 a 15 shoppings em todo o País, entre eles o Morumbi e o Paulista em São Paulo, Brasília Shopping e Conjunto Nacional em Brasília, e o Shopping Barra em Salvador. "Só venderemos cotas em shoppings que têm o rendimento consolidado, não venderemos nada no empreendimentos em construção", diz o diretor de administração de ativos terceiros da CEF, Jorge Luiz Ávila. A idéia da Caixa é segmentar a venda das cotas. Primeiro só shoppings, depois hotéis e em seguida pontos comerciais. O objetivo é captar de R$ 250 milhões a R$ 300 milhões. A rentabilidade bruta mensal será de 1% do valor dos aluguéis. Ao final de doze meses, sobre o ganho mensal incidirá a variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM) acumulado em um ano. IGPM. Dessa forma, se o investidor aplicar R$ 100 mil, terá R$ 1 mil como ganho mensal bruto. Ao final de doze meses, sobre a rentabilidade mensal incidirá a variação acumulada anual no IGPM. Em 2000, se esse fundo já estivesse disponível, o investidor receberia, além dos R$ 1 mil mensais, um valor de R$ 99,50 referente ao IGPM acumulado no ano, de 9,95%. A Caixa estuda a possibilidade de revenda das costas do fundo para a Funcef. "Estamos avaliando isso para facilitar a comercialização das cotas, já que elas atualmente só podem ser vendidas no mercado secundário", disse. A Caixa ainda não tem idéia de quanto será a taxa de administração. O pedido de registro à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) deve ser entregue em duas semanas. A CVM tem 30 dias para aceitá-lo.Já o Banco do Brasil pretende captar R$ 500 milhões por 60 imóveis de sua propriedade espalhados pelo Estado O banco pagará o aluguel das agências e escritórios para o fundo. A idéia é pagar 1% do valor dos aluguéis. Como o projeto está em estudo não está definida qual a taxa de administração. Vale lembrar que todos os fundos imobiliários pagam Imposto de Renda de 20% sobre o rendimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.