CEF libera crédito para clientes de construtoras

A Caixa Econômica Federal (CEF) assinou hoje seis cartas de garantia de concessão de crédito imobiliário, no valor total de R$ 107 milhões, para clientes de construtoras que atuam na cidade de São Paulo. Os contratos, firmados por meio da linha Alocação de Recursos, destinada a empresas da construção civil e lançada em outubro do ano passado, garantem que CEF financiará a aquisição dos empreendimentos previstos no acordo, caso seja esse o interesse do comprador. "Essa linha garante que o comprador poderá financiar o imóvel pela Caixa com recursos próprios, do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e da caderneta de poupança", explicou o superintendente de Negócios da CEF, Henrique Carlos Parra Parra. "O acordo é firmado com a construtora, mas o financiamento é contratado pelo comprador do imóvel", acrescentou.Conforme Parra, a CEF já colocou no mercado cerca de R$ 140 milhões em cartas de garantia da modalidade Alocação de Recursos, incluindo os contratos assinados nesta quarta, e tem outros R$ 390 milhões em propostas em andamento, também referentes a empreendimentos localizados na cidade de São Paulo. Os contratos em análise, segundo o superintendente, representam a possibilidade de financiamento de 3,2 mil unidades. "Trata-se de uma modalidade que foi muito bem aceita pelo mercado, porque garantimos a concessão de crédito imobiliário ao comprador do imóvel com os prazos e condições da CEF", disse. Para enquadrar-se nessa modalidade, o empreendimento deve ter mais de 50% das obras já concluídas ou participação de investidores que represente 50% do empreendimento.ContratoPara o comprador dos imóveis incluídos no contrato firmado pela CEF com a construtora, valem os prazos, limites e taxas das linhas de financiamento imobiliário em vigor em todas as linhas ofertadas pela instituição financeira. As modalidades que operam com recursos do FGTS têm limite de financiamento de 100% do valor do imóvel e taxa de juros a partir de 6% ao ano. Com recursos da caderneta, o limite de financiamento é de 80% do valor de venda da unidade e taxa a partir de 9,57% ao ano. Com recursos próprios da CEF, é possível financiar até 90% do valor do imóvel, com juros de 12% ao ano. Os limites para valor do imóvel a ser financiado são de até R$ 100 mil (FGTS) e R$ 350 mil (poupança). Não há limite nas linhas que operam com recursos próprios da instituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.