CEF ressalta atuação de bancos públicos para baixar juros

Presidente da instituição diz que bancos públicos têm papel estratégico no enfrentamento da crise

Fabio Graner, da Agência Estado,

17 de junho de 2009 | 14h56

A presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos Coelho, afirmou nesta quarta-feira, 17, que é uma decisão do banco trabalhar com as menores taxas de juros do mercado e deixou em aberto a possibilidade de novas reduções. Segundo a executiva, os bancos públicos estão tendo papel estratégico no enfrentamento da crise e isso se deve a uma política do governo federal de fortalecimento das empresas estatais.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise

 

"Se a crise nos pegasse em 2003, seria dramático, pois não teríamos capacidade de responder", afirmou Maria Fernanda. "Os bancos públicos têm atuado intensamente de forma anticíclica", disse, lembrando que o crédito na Caixa cresceu mais de 50% durante a crise.

 

Ela afirmou que não cabem as comparações sobre a lucratividade da Caixa com o setor privado. "O que a Caixa precisa ter é a sustentabilidade de suas operações em todas as áreas. Este é o papel de uma instituição pública", afirmou.

 

A possibilidade de uma ação anticíclica do Estado na crise, na visão de Maria Fernanda, é o fator que explica porque pela primeira vez as famílias de baixa renda no Brasil não estão sofrendo em meio à crise. Ela também negou a possibilidade de a atuação agressiva dos bancos públicos provocar risco de insolvência futura das instituições. "Não existe nenhuma possibilidade de isso acontecer", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.