CEF vai instalar escritório de representação no Japão

Após quatro meses, a Caixa Econômica Federal (CEF) obteve do Ministério da Justiça do Japão o sinal verde para instalar um escritório de representação na cidade de Hamamatsu. "É o local do Japão onde há a maior concentração de brasileiros emigrados", disse ao Estado o superintendente internacional da CEF, Flávio Peró. Estima-se que 20 mil dos 300 mil brasileiros residentes em solo japonês morem na cidade onde a CEF terá sua primeira representação fora do Brasil. "Será um marco na história de 146 anos da CEF", afirmou Peró.Sem poder receber depósitos, o escritório da CEF terá como principal objetivo alavancar os negócios feitos entre o Brasil e o Japão. A Caixa, entretanto, não esconde o desejo de, no futuro, conseguir abrir uma agência no Japão. "O primeiro passo para se entrar num país é a abertura de um escritório de representação", disse o superintendente. Em território japonês desde 1972, o Banco do Brasil (BB), outra instituição financeira controlada pelo governo federal, já tem sete agências em cidades como Tóquio, Hamamatsu e Nagoya.A inauguração do escritório ocorrerá às 9 horas (horário de Brasília) da próxima quinta-feira. "Faremos um evento simultâneo aqui (em Brasília) e em Hamamatsu", contou Peró. Em Brasília, estarão presentes a presidente da CEF, Maria Fernanda Coelho, e o embaixador do Japão, Ken Shimanouchi. Além disso, espera-se a presença do ministro da Fazenda, Guido Mantega. No escritório em Hamamatsu, estarão o prefeito da cidade, Yasuyuki Kitawaki, o presidente do Iwata Shinkin Bank (com que a CEF tem parceria), Shouzu Takagi, e o representante do embaixador brasileiro no Japão, André Mattoso Maia.Projeto de internacionalizaçãoA abertura do escritório de representação em Hamamatsu, de acordo com Peró, faz parte do projeto de internacionalização da CEF iniciado em 2004. Em setembro passado, a CEF teve do Banco Central autorização para operar no mercado de câmbio e realizar operações de financiamento ao comércio exterior. A CEF aguarda também o sinal verde do Federal Reserve (Banco Central dos Estados Unidos) para instalar um escritório de representação em Nova Jersey. "Esperamos que isto ocorra nos próximos três meses", disse Peró.A intenção é se aproximar da comunidade de brasileiros que moram nos estados da região nordeste dos Estados Unidos, onde, pelas estimativas do Ministério das Relações Exteriores, estão 70% dos brasileiros residentes em solo americano. As cidades de Nova Jersey, Nova York e Pensilvânia concentram 400 mil emigrantes. Para a Europa, os planos da CEF são mais de médio e longo prazo. "É um mercado que ainda estamos estudando", explicou Peró.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.