finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Celular comanda casa digital made in Brazil

Aquilo que era ficção nos desenhos animados dos Jetsons, a família do século 21, começa a tornar-se realidade, em São Paulo. Ainda no escritório, antes de retornar à casa, o executivo aciona a função chegar na tela de seu celular e, com apenas uma ligação, transmite instruções codificadas ao painel de controle doméstico, checando sistemas de segurança, câmeras de vídeo, persianas, iluminação, ar-condicionado ou a banheira de sua residência. Se preferir, pode pedir ao sistema que prepare seu banho, na temperatura preferida, para que tudo esteja pronto exatamente no momento de sua chegada.Eis aí a mais recente idéia de utilização do celular: como um supercontrole remoto para comandar todas as funções da casa inteligente. E, para surpresa de muita gente, o Brasil é pioneiro nessa área, graças à contribuição tecnológica da Ihouse, empresa fundada e dirigida por Leonardo Senna."Com suas múltiplas funções, o celular supera tudo que já foi inventado para controle da casa automatizada. As novas tecnologias digitais permitem que o telefone celular seja utilizado com sucesso nessa nova aplicação de supercontrole remoto da casa inteligente. E nisso, estamos lançando uma inovação mundial", explica Senna.Na realidade, o celular se transformou numa espécie de canivete suíço eletrônico: sempre acolhe novas funções e utilidades. Por isso, milhares de empresas em todo o mundo desenvolvem novas aplicações e conteúdos para seus usuários, incorporando coisas tão diversas quanto acesso à internet, câmera fotográfica ou de vídeo, música MP3, games, recepção de TV ou serviços de localização via satélite (GPS).A Ihouse colhe hoje os frutos de muitos anos de investimento em pesquisa e desenvolvimento. Sua linha de produtos vai muito além dessa utilização do celular, abrangendo, especialmente, a área de automação predial e produtos e sistemas para a casa digital. Nos últimos meses, a empresa lançou os primeiros apartamentos desse padrão nos edifícios inteligentes mais avançados de São Paulo.Senna diz que sua proposta é atender a clientes que buscam conforto numa casa à frente do seu tempo, associando os recursos do celular e da internet. A Ihouse projeta e instala todos os sistemas exigidos pelas casas digitais ou pelos edifícios inteligentes residenciais de alto luxo. Nessas residências, não há interruptores convencionais, mas painéis gráficos do tipo touchscreen, instalados na cabeceira da cama ou na parede, que permitem a comunicação com toda a casa via internet, celular (tanto CDMA quanto GSM), computador pessoal (PC) ou pocket PC, possibilitando aos moradores comandar portas, ar- condicionado, iluminação, banheira, chuveiro ou sauna. "Morar em um apartamento de alto padrão, diz Senna, é desfrutar de facilidades e mordomias que vão muito além da imaginação. E não estamos falando de protótipos, mas de tecnologias que já estão acessíveis aos moradores de diversos prédios recém-concluídos e inaugurados."CENTRAL DE CONTROLEEquipamentos inteligentes podem ser utilizados individualmente ou integrados em um sistema central, o Smartcontrol, nome comercial registrado pela Ihouse. A grande tendência da casa digital, aliás, é usar um servidor doméstico para controle de todas as funções. O Smartcontrol tem uma tela sensível ao toque, com informações claras e amigáveis, com gráficos e ícones, que permitem ao usuário simplificar diversas funções com um único comando. A função acordar permite, com um único toque, abrir a persiana, regular a temperatura ambiente, abrir as cortinas ou ligar o chuveiro.A banheira desenvolvida pela Ihouse é comandada pelo controle Smartshower, por meio do qual o usuário escolhe a mistura de água quente e fria, o fluxo da ducha e, se quiser, pode até acompanhar o preparo do banho em tempo real. Se estiver distante do banheiro, assim que tudo esteja pronto, o usuário recebe um aviso, com um toque especial em seu celular.A home networking, ou rede que conecta todos os equipamentos da casa digital, associa as tecnologias Ethernet e Controller Area Network (CAN). A Ethernet é utilizada amplamente em escritórios, fábricas e residências para comunicação entre computadores, enquanto a CAN é usada em aeronaves e carros de última geração. Um dos grandes desafios da casa digital era, até hoje, obter dos fornecedores assistência técnica rápida e manutenção adequada dos sistemas e equipamentos. Leonardo Senna diz que a Ihouse garante não apenas a pronta solução dos problemas e com uma vantagem adicional: na maioria dos casos o proprietário não precisa nem ligar para assistência técnica em caso de falha ou defeito. Como estão conectados via internet com a central da Ihouse, os equipamentos fazem um autodiagnóstico e enviam automaticamente um chamado para assistência técnica, o que reduz o tempo de reparo porque o técnico já se dirige para residência com a peça defeituosa para substituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.