Celular lidera lista de queixas sem solução

Número de reclamações ao Procon não resolvidas vem crescendo

Renata Veríssimo, O Estadao de S.Paulo

11 de dezembro de 2008 | 00h00

As empresas de telefonia e as fabricantes de aparelhos celulares elevaram o porcentual de reclamações que não foram solucionadas mesmo depois de o consumidor procurar o Procon. Por causa dessas empresas, o porcentual de reclamações não atendidas subiu de 18% para 22,4% no último ano. Lideram a lista, nesta ordem, Siemens, Gradiente, Oi, Claro e Brasil Telecom. "Todo o sistema (de defesa do consumidor) expressa preocupação com essas empresas", afirmou o diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) do Ministério da Justiça, Ricardo Morishita, ao lançar o Cadastro Nacional de Reclamações Fundamentadas. O período considerado pelo cadastro foi entre 1º de setembro de 2007 e 31 de agosto de 2008. Morishita destacou a atuação de três dessas empresas. Segundo ele, o consumidor, ao adquirir um produto da Siemens, deve saber que tem 45% de chance de não ser atendido, se tiver um problema, mesmo procurando o Procon. O diretor destacou ainda que existe uma grande disparidade entre os serviços ofertados pela Oi, nas campanhas publicitárias, e o que é cumprido efetivamente. "Isso acende um sinal amarelo, quase vermelho, em relação à Oi", disse. Morishita ainda destacou que os órgãos de defesa do consumidor perceberam que os atendentes da Brasil Telecom não têm autonomia para resolver os problemas demandados, o que também acende uma luz amarela. A Siemens informou que vendeu, em janeiro de 2006, sua unidade de celulares à chinesa Benq, e que a responsável pelas marcas Benq-Siemens e Benq no Brasil é a empresa B2X Care Solutions. A Oi informou que está "aportando recursos para melhoria contínua do atendimento e do serviço". A Claro disse que "soluciona todas as reclamações que são devidas, de acordo com o seu posicionamento jurídico e as regras vigentes no setor", e a Brasil Telecom disse que resolve até 95% dos casos que vão a audiência de conciliação nos Procons. Procurada, a Gradiente não foi localizada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.