Celular: preços de tarifas podem cair com o SMP

A chegada das novas bandas C, D e E do Serviço Móvel Pessoal (SMP) terá reflexos na disputa de preços. O sistema de telefonia celular ganhará novos concorrentes. Além das operadoras que hoje atuam nas Bandas A e B, cada região do país ganhará três novas empresas do setor como prevê o regulamento do SMP. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a Associação Nacional dos Prestadores de Serviço Móvel Celular (Acel) acreditam que as tarifas dos celulares devem sofrer reduções após o lançamento da nova tecnologia. O diretor de assuntos regulamentários da Acel, Luis Roberto Antonik, aposta que a entrada da SMP no mercado vai provocar um acirramento na concorrência do setor e, conseqüentemente, os preços das tarifas deverão ser reduzidos. Ele ressalta que as tarifas não sofreram aumentos desde 1997, quando surgiu a banda B. A banda B foi destinada para as operadoras que viriam a concorrer com essas operadoras da banda A. A Anatel ainda não possui nenhum estudo definido sobre o preço das tarifas do novo sistema. Porém, a Agência que regulamenta o setor acredita que os preços das tarifas poderão sofrer reduções com a entrada de novas empresas no sistema de telefonia celular brasileira. Serviços também podem ter preços reduzidos Os serviços e pacotes oferecidos pelas operadoras também poderão sofrer reduções de preços. No SMP, o usuário que estiver em um Estado fora área de sua operadora poderá escolher o serviço da operadora de ligações de longa distância que oferece a tarifa mais barata. Atualmente, são as operadoras da telefonia celular que acertam contratos com as prestadoras do serviço. No SMC, o usuário só pode ligar através do código da Embratel. Neste novo sistema, o usuário terá direito à conta detalhada sem cobrança de tarifa e o bloqueio de serviços tarifados que o usuário não for utilizar. O consumidor poderá reduzir os custos de sua fatura mensal com a escolha dos serviços que apenas for utilizar", explica o diretor da Acel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.