Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Celulose acirra tensão entre Argentina e Uruguai

Além das brigas internas do gabinete, a presidente argentina eleita Cristina Kirchner se depara com uma situação regional incômoda. O problema é o Uruguai, país com o qual a Argentina mantém o pior conflito internacional desde a Guerra das Malvinas em 1982, contra a Inglaterra. O pivô do conflito é a fábrica de celulose da empresa finlandesa Botnia, instalada no município uruguaio de Fray Bentos, sobre o Rio Uruguai, que divide os dois países. Os habitantes argentinos da fronteira com o Uruguai - que fazem piquetes sobre as pontes que ligam os dois países, com a condescendência de Kirchner - exigem o desmonte da fábrica. Eles afirmam que a fábrica causará uma catástrofe ambiental e econômica à região. O governo uruguaio, por sua vez, se recusa a impedir o funcionamento da fábrica, que representa o maior investimento que o país já recebeu em toda a sua história. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.