Pedro Vilela/Estadão
Pedro Vilela/Estadão

Cem lojas de supermercados de BH não abrem

Por falta de transporte coletivo, funcionários não tinham como chegar ao trabalho ontem

Márcia De Chiara, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2018 | 04h00

Cem lojas de importantes redes de supermercados em Belo Horizonte, Minas Gerais, não abriram as portas ontem por falta de transporte coletivo para a população. Segundo a Associação Mineira de Supermercados (Amis), as redes BH, Epa e Super Nosso decidiram suspender as atividades porque os funcionários não tinham como chegar ao trabalho pela falta de combustível nos ônibus.

A entidade informa que, nos demais municípios do Estado, o funcionamento dos supermercados foi normal ontem. Hoje, as redes em Minas abrirão normalmente, inclusive essas cem lojas das três redes que não funcionaram, informa a Amis.

Carlos Correa, da Associação Paulista de Supermercados (Apas), afirma que, de acordo com o rastreamento feito pela entidade em São Paulo, apenas uma loja, muito voltada para venda de itens perecíveis, não abriu as portas no domingo por falta de mercadoria.

No entanto, o superintendente da associação alerta que, se a greve se estender e os problemas de transporte coletivo se agravarem, cresce o risco de os supermercados fecharem as lojas porque os funcionários não conseguirão ir trabalhar. Ontem, o dia de vendas nos supermercados do Estado de São Paulo foi bem abaixo do normal, de acordo com dados da entidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.