Pedro Vilela/Estadão
Pedro Vilela/Estadão

Cem lojas de supermercados de BH não abrem

Por falta de transporte coletivo, funcionários não tinham como chegar ao trabalho ontem

Márcia De Chiara, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2018 | 04h00

Cem lojas de importantes redes de supermercados em Belo Horizonte, Minas Gerais, não abriram as portas ontem por falta de transporte coletivo para a população. Segundo a Associação Mineira de Supermercados (Amis), as redes BH, Epa e Super Nosso decidiram suspender as atividades porque os funcionários não tinham como chegar ao trabalho pela falta de combustível nos ônibus.

A entidade informa que, nos demais municípios do Estado, o funcionamento dos supermercados foi normal ontem. Hoje, as redes em Minas abrirão normalmente, inclusive essas cem lojas das três redes que não funcionaram, informa a Amis.

Carlos Correa, da Associação Paulista de Supermercados (Apas), afirma que, de acordo com o rastreamento feito pela entidade em São Paulo, apenas uma loja, muito voltada para venda de itens perecíveis, não abriu as portas no domingo por falta de mercadoria.

No entanto, o superintendente da associação alerta que, se a greve se estender e os problemas de transporte coletivo se agravarem, cresce o risco de os supermercados fecharem as lojas porque os funcionários não conseguirão ir trabalhar. Ontem, o dia de vendas nos supermercados do Estado de São Paulo foi bem abaixo do normal, de acordo com dados da entidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.