bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Cemig deve investir R$ 1 bilhão em 2002

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) planeja investimentos de R$ 1 bilhão em 2002, volume de recursos superior em cerca de 50% ao efetivado em 2001, informou o diretor de relações com os investidores da empresa, Luiz Fernando Rolla. Desse total, cerca de R$ 400 milhões serão destinados à ampliação da capacidade própria de geração, outros R$ 380 milhões deverão ser aplicados na expansão da rede de distribuição, e o restante será dividido entre as áreas de transmissão de energia e as participações da companhia em empresas de distribuição de gás canalizado e em infovias.Na área de geração, os investimentos deverão ser direcionados a projetos de hidrelétricas que estão sendo tocados por meio de consórcios com outras empresas ou isoladamente, disse Rolla. A Cemig tem como parceiros CEB, Coteminas e Cia. Vale do Rio Doce, nos projetos da hidrelétricas de Funil, Aimorés, Irapé e Queimadas. "A expectativa é de que devemos contar com um acréscimo em nossa capacidade de geração de quase 2 mil megawatts (MW) nos próximos três anos", disse Rolla. Atualmente, a Cemig possui capacidade instalada de cerca de 5.600 MW, segundo ele.Rolla acrescentou que a Cemig deverá tentar recuperar, no leilão de licitações de concessões de hidrelétricas programado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para julho, o direito de construir e operar a usina de Traíra II. A Cemig já havia conquistado a concessão da hidrelétrica, com capacidade de geração de 60 MW, em leilão realizado pela Aneel em 30 de novembro de 2001. Mas a empresa teve a concessão revogada pela agência no início de março, por não ter cumprido a determinação, expressa no edital de licitação, de criar uma empresa de propósito específico para explorar o empreendimento.A Cemig planeja estender, com os R$ 380 milhões de investimentos previstos para a área de distribuição, o seu fornecimento de energia a 220 mil novos consumidores neste ano, o que representa um aumento de 4% na clientela atual, segundo Rolla. O crescimento será menor do que o registrado em 2001, quando 270 mil novos consumidores foram agregados à carteira de clientes da empresa. Segundo Rolla, os números do ano passado foram influenciados pelo racionamento de energia elétrica. "Com o estabelecimento de metas de consumo, muitos clientes que recebiam a energia em ligações compartilhadas com outros consumidores pediram novas ligações individuais para evitar as multas por superação das metas", disse ele.De acordo com o diretor da Cemig, a companhia espera ampliar em 4% o seu fornecimento de energia em relação ao ano passado. Ele acrescentou que a empresa tem registrado um incremento do consumo pelos clientes industriais que já atinge os níveis registrados em 2000, embora ainda permaneça abaixo dos patamares do início do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.