coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Cemig estuda compra de outra distribuidora no Chile

O diretor de Finanças, Participações e Relações com Investidores da Cemig, Luiz Fernando Rolla, revelou que a estatal mineira tem interesse na compra de uma outra distribuidora de energia elétrica no Chile. "O Chile está passando por um processo de saída de investidores estrangeiros no setor elétrico, o que abre oportunidades de investimento no mercado local", comentou o executivo, que participou hoje do "IV Painel Setorial de Energia Elétrica", promovido pela Apimec-SP e pela Abradee.Recentemente, a estatal manifestou o desejo de adquirir a Emel, controlada pela americana Pennsylvania Power and Light (PPL), que no Brasil já controlou a Cemar. Segundo Rolla, o negócio não prosperou. "Fizemos uma proposta, mas ela foi considerada baixa", disse.De acordo com o diretor de RI, integra a estratégia da Cemig o crescimento das operações no Chile. A companhia investe na área de transmissão por meio da construção da linha de transmissão Charrua-Temuco, em parceria com a Alusa. "Desenvolvemos esse projeto para conhecer as condições regulatórias do mercado chileno. A partir disso, detectamos que faz sentido investir nesse País", comentou. Além de distribuição, a estatal tem planos de expansão na geração.Sobre outras oportunidades de investimento no mercado brasileiro, o executivo afirmou que a Cesp é a alternativa menos atrativa no momento, em comparação com Brasiliana e as usinas do rio Madeira. "A Cesp é uma situação muito complexa. O governo de São Paulo foi separando os ativos bons e juntou os passivos na Cesp. A última avaliação que fizemos foi decepcionante", disse Rolla.Segundo executivo, a Cemig detectou uma série de passivos de ordem judicial, ambiental e social na Cesp, que diminuem a atratividade do investimento. "São passivos de toda ordem." O diretor da Cemig, entretanto, não acredita que o governo paulista irá colocar à venda a geradora neste momento.

WELLINGTON BAHNEMANN, Agencia Estado

08 de outubro de 2007 | 20h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.