Cemig prevê queda de 3% na demanda durante horário de verão

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) espera uma redução entre 3% e 5% na demanda por energia no horário de pico, entre 18 h e 20 h, com o estabelecimento do horário de verão, previsto para começar no dia 19 de outubro. O porcentual, ligeiramente abaixo da expectativa nacional para o período, de 5,2% de redução na demanda, corresponde a cerca de 228 MW, potência equivalente à geração das usinas térmicas de Igarapé (131 MW) e Salto Grande (102 MW) juntas, em plena carga. A maior participação dos consumidores industriais no consumo energético na área de concessão da empresa e a maior proximidade do centro de carga da linha do equador justificam uma redução da demanda menor que a prevista para o restante do País, notadamente os estados do Sul. Para esses, menos próximos da linha do equador, a diferença entre horas de luz e horas de escuridão é mais acentuada no período, resultando em economia em torno de 6%. Horários A 30ª edição do horário de verão brasileiro começa a zero hora do próximo dia 19 e termina a zero hora do dia 15 de fevereiro. Durante esses 119 dias, serão adiantados em uma hora os relógios dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.