Cenário externo deixa mercado brasileiro instável

A situação na Argentina deixou o mercado de câmbio e juros instáveis durante a manhã. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam, no início da tarde, juros de 18,430% ao ano, frente a 18,160% ao ano registrados ontem. No mercado de câmbio, o dólar é cotado a R$ 1,9800 na ponta de venda dos negócios - alta de 0,41% em relação às últimas operações de ontem.Não há fatos novos. O principal agravante é a demora no anúncio do pacote de ajuda externa prometido pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). Mas, para isso, é necessário que o Congresso aprove as reformas necessárias para corte de gastos e reforma do sistema previdenciário. Enquanto isso não acontece, o mercado brasileiro vai aumentando seus temores sobre o país vizinho, o que é repassado para as taxas de câmbio e juros.Em Nova York, a Nasdaq - bolsa que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - vem registrando mais um dia de queda. Há pouco, a baixa era de 3,21%. O mesmo acontece com o Dow Jones - índice que mede a valorização das ações de empresas mais negociadas na Bolsa de Nova York - que opera em queda de 0,32% no início da tarde. Internamente os dados são bons, com exceção da balança comercial (veja mais informações no link abaixo). Porém, isso não é suficiente para melhorar o rumo dos negócios na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que opera em baixa de 1,51%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.