Cenário externo deve guiar negócios

Devido ao feriado bancário na Argentina, a situação do país pode dar uma trégua aos investidores nessa segunda-feira. Porém, a apreensão com as dificuldades da economia argentina continua. As atenções estarão voltadas nos próximos dias para o encaminhamento do Orçamento argentino. O país precisa cortar gastos para equilibrar suas contas, já que não há nenhuma perspectiva de aumento da receita.No Brasil, o dia começou com a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). O resultado ficou em 0,01% em outubro, ante 0,27% em setembro. Apesar de positiva, a notícia não deve ter impacto no mercado financeiro, já que as operações estão muito mais guiadas pelo cenário internacional.Amanhã é dia de eleições presidenciais nos Estados Unidos. As pesquisas mostram empate técnico entre o republicano George Bush, supostamente o preferido do mercado, e o democrata Al Gore. No lado econômico, o Índice de Preços ao Produtor (PPI) será divulgado na sexta-feira e os investidores esperam mais uma confirmação da desaceleração da economia norte-americana e recuo da pressão inflacionária. Porém, enquanto há incertezas em relação à eficácia dos últimos aumentos das taxas de juros nos EUA, que foram promovidos desde o ano passado com o objetivo de desaquecer a economia norte-americana, o mercado financeiro mundial não consegue reagir. A tendência é de oscilação do preço dos ativos. No Brasil, isso é percebido no movimento da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), dólar e juros. Veja como abriu o mercado financeiro hojeNo mercado internacional, os negócios com o petróleo bruto do tipo Brent para entrega em dezembro estão em queda de 0,29% em Londres, a US$ 30,56 por barril. O euro está praticamente estável em relação à sexta-feira. A moeda européia chegou a cair 0,50% mas, pela terceira vez, os bancos centrais da Europa voltaram a atuar no mercado para evitar uma queda ainda maior.No Brasil, os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - começam o dia pagando juros de 18,600% ao ano, frente a 18,400% ao ano ontem. O dólar comercial está cotado a R$ 1,9480 na ponta de venda dos negócios - alta de 0,26% em relação aos últimos negócios de sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.