Cenário externo influencia mercado

O preço do petróleo voltou a abrir em leve baixa hoje. De acordo com apuração da editora Cynthia Decloedt, os investidores mantêm as expectativas de que o governo dos Estados Unidos libere o uso de suas reservas estratégicas - cerca de 571 milhões de barris de óleo bruto -, em função de um pedido feito ontem pelo vice-presidente, Al Gore, com o objetivo de forçar queda dos preços do produto. Há pouco, o barril do petróleo bruto, negociado em Londres, estava cotado a US$ 32,71 - uma queda de 0,02% em relação a ontem.A cotação do dólar abriu o dia com pressão de alta. A moeda norte-americana era vendida há pouco por R$ 1,8640 - uma alta de 0,49% em relação aos últimos negócios de ontem. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - começaram a manhã pagando juros de 17,460% ao ano, frente a 17,250 % ao ano registrados ontem. Os negócios na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) começam o dia influenciados de forma negativa - queda de 2,27% - pelo desempenho das bolsas norte-americanas, que reagem ao alerta feito ontem pela Intel - líder mundial em chips para computador. A empresa anunciou um provável recuo em suas receitas no terceiro trimestre. As ações da Intel caíram 20% ontem nas operações feitas após o fechamento do pregão. Há pouco, o papel despencava 26% nas negociações eletrônicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.