-15%

E-Investidor: como a queda do PIB afeta o mercado financeiro

Cenário inflacionário benigno favorece corte nos juros, diz BC

Ata da reunião do Copom indica desaquecimento da demanda, mas defende cautela em futuros cortes na Selic

Adriana Fernandes e Fabio Graner, Agência Estado

19 de março de 2009 | 09h30

omitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, destacou, na ata da última reunião, realizada na semana passada, que há margem para um processo de redução da taxa básica de juros brasileira, a Selic, diante do desaquecimento da demanda. Porém, o Comitê afirma que o processo de flexibilização dos juros dever ser cauteloso.

 

Veja também:

linkEntenda os principais índices

 linkInflação do aluguel tem queda no acumulado do ano

 

Com um cenário de desaquecimento da demanda, o Banco Central destacou na ata da reunião do Copom que foi ampliada a perspectiva de o IPCA voltar ao centro da meta de inflação. "Continuaram ampliando-se de forma importante as perspectivas de concretização de um cenário inflacionário benigno, no qual o IPCA voltaria a evoluir de forma consistente para a trajetória de metas", diz a ata do Copom, divulgada nesta quinta-feira, 19.

Todas as projeções de inflação medida pelo IPCA do Banco Central para 2009 e 2010 recuaram para patamar abaixo do centro da meta devido ao desaquecimento da economia. A meta de inflação fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para os dois anos é de 4,5%.

A queda das projeções foi verificada nos cenários de referência (que leva em consideração uma taxa de câmbio de R$ 2,40 e da taxa Selic de 12,75%, que vigoravam no momento da reunião do Copom) e de mercado (que leva em consideração as projeções de taxas de juros e de câmbio do mercado apurados pela pesquisa Focus) .

Segundo o BC, no cenário de referência para 2010 a projeção de inflação encontra-se "sensivelmente" abaixo de 4,5%. De acordo com a ata, esse espaço aumentou devido aos sinais de arrefecimento do ritmo de atividade econômica, entre eles, os indicadores de produção industrial, dados de mercado de trabalho, taxas de utilização da capacidade da indústria e informações sobre confiança de empresários e consumidores. O Copom também destacou o recuo das expectativas de inflação para horizontes relevantes. Para os membros do BC, os dados da produção industrial foram exacerbados por um "ciclo de estoques".

Tudo o que sabemos sobre:
criseinflaçãoAta do Copom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.