Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Cenário político otimista faz dólar recuar

O resultado positivo do primeiro encontro entre as equipes do PT e do Fundo Monetário Internacional (FMI), o fim do impacto do vencimento de dívida pública cambial (US$ 2,4 bilhões hoje) e novos rumores de que Armínio Fraga pode permanecer no cargo nos primeiros meses do novo governo estão mantendo o mercado de câmbio animado neste início de manhã. Na abertura dos negócios de hoje, às 9h44, o dólar comercial estava sendo vendido a R$ 3,4850, em queda de 1,69% em relação ao fechamento de ontem. Veja aqui a cotação do dólar dos últimos negócios.Os especialistas afirmam que o ambiente é de trégua e que não há demanda por dólares, o que deixa o mercado centrado no fluxo. E nesse caso, o movimento forte de exportações tende a ajudar a manter o dólar estável ou em queda. Eles acrescentam que o fato de não haver vencimentos públicos e privados importantes nos próximos dias também ajuda. Ainda este mês, mas concentrados nos últimos dias, os vencimentos privados são inferiores a US$ 300 milhões. Já o próximo vencimento de dívida pública cambial acontece somente no dia 2 de dezembro e é de US$ 440 milhões. No mês que vem, o total desses vencimentos é de US$ 3,5 bilhões. No noticiário, o destaque de hoje é o resultado da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). Pesquisa da Agência Estado mostra que entre 22 analistas, 20 esperam alta do juro. O mercado quer ver o governo sinalizando que o controle da inflação ainda é prioridade. E o índice Fipe hoje é mais um dado que mostra que essa preocupação faz sentido. A taxa da segunda quadrissemana de novembro ficou em 2,03%. O resultado é alto e superior às expectativas dos economistas que estimavam inflação entre 1,7% e 2%, no período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.